Venha pregar em minha igreja!

Venha pregar em minha igreja!

Convidar pastor para pregar

Por Thiago Schadeck

É muito comum que ao ser apresentado a outros pastores, geralmente acompanhado de uma breve conversa, vem o seguinte convite: “vamos marcar um dia para você pregar na minha igreja!”. Dou aquele sorriso amarelo e penso: “esse cara nem me conhece e já quer que eu pregue em sua igreja!”. Infelizmente isso é muito comum, pastores que entregam o microfone e o púlpito de suas igrejas nas mãos de qualquer um que se identifique como pastor ou qualquer título que o valha e “capacite” a pregar.

Já reparou quantos pregadores postam em seus Facebooks que estão com “agenda aberta” para convites? Puxe assunto com um desses e demonstre interesse em levá-lo para ministrar em sua igreja. Automaticamente abre-se um catálogo de “produtos” que o tal pregador tem a oferecer: cura e libertação, campanhas, ministrações sobre dizimos, ofertas e prosperidade financeira; ministrações para casais e família (cidadão de 22 anos e solteiro) e, claro, apenas uma pregação simples. A grande maioria segue um padrão e imitam o pastor da tevê ou do congresso de missões que dita regra no ambiente pentecostal. Postam vídeos curtos falando frases de efeito, fazem algum milagre e terminam falando em línguas. É a versão em vídeo das propagandas de campanhas de igrejas nas rádios piratas.

O grande problema desses pregadores é que normalmente não congregam em nenhuma igreja. Quando congregam, são “pastores presidentes da denominação” e fazem com ela o que bem entendem. Conheço diversas dessas. O pastor não tem qualquer preocupação em largar a igreja nas mãos de qualquer obreiro para ir atender um convite para pregar. Agora pergunto: se ele não tem compromisso com o culto da própria igreja, terá com a minha? Se ele não se compromete com o ensino de sua igreja, deixando-a sempre que aparece outro compromisso, o que terá a transmitir à minha igreja? Um pastor que prioriza outras igrejas à sua terá moral para incentivar alguém a permanecer congregando?

Lembre-se que quando algum pregador de fora tem oportunidade em sua igreja, seu pastor torna-se automaticamente responsável por o que ele disser. Claro! A responsabilidade de cuidar, ensinar e alimentar bem o rebanho é dele e não do visitante. Portanto, antes de convidar alguém para pregar em sua igreja, avalie bem a vida e a teologia do pregador. Tenha referências de como ele cuida da própria igreja – se não congregar, exclua de sua lista imediatamente, assista algumas pregações dele e avalie se o que ele prega está de acordo com a bíblia.

Meu conselho é que, salvo em raras exceções, não leve pregadores de fora em sua igreja. Se é para correr o risco de alguém falar uma bobagem ao púlpito, que venha de alguém de casa, que possa ser corrigido e auxiliado no crescimento. Com certeza os frutos serão maiores e mais gratificantes.

Comentários no Facebook