Por que Jesus ganhou OURO, INCENSO e MIRRA?

Por que Jesus ganhou OURO, INCENSO e MIRRA?

Por Thiago Schadeck

Nada que está escrito na Bíblia foi parar alí por acaso. Tudo tem um propósito e um significado.

Quando lemos o nascimento de Jesus narrado no Evangelho escrito por Mateus, ele nos informa que os magos trouxeram presentes ao menino. Mais que isso, ele especifica quais foram os presentes: ouro, incenso e mirra. Você já se perguntou o por quê desses presentes específicos? Eles não poderiam presentear a Jesus com outras coisas? Vamos ver o significado de cada presente:

Ouro:

Na época em que Jesus nasceu era comum que se presenteasse aos reis com ouro. Quando a Rainha de Sabá foi visitar o Rei Salomão, deu a ele mais de quatro toneladas de ouro, como podemos ver em 2 Crônicas 9:9

“E ela [rainha de Sabá] deu ao rei quatro toneladas e duzentos quilos de ouro e grande quantidade de especiarias e de pedras preciosas. Nunca se viu tantas especiarias tais como aquelas que a rainha de Sabá deu ao rei Salomão.”

Sendo assim, os magos vindos do oriente reconheceram que estavam diante de um Rei. Esse rei era muito maior que Davi, o maior rei de Israel ou que Salomão, o homem mais sábio do mundo. Ele era um Rei eterno, profetizado por Isaías!

“Ele estenderá o seu domínio, e haverá paz sem fim sobre o trono de Davi e sobre o seu reino, estabelecido e mantido com justiça e retidão, desde agora e para sempre. O zelo do Senhor dos Exércitos fará isso.” (Isaías 9:7).

Lendo o Novo Testamento vemos que Jesus não é um rei como os outros, que ficavam sentados em seu trono, no luxuoso palácio, apenas demandando aos servos o que deveria ser feito. Ele esteve entre o povo, ensinando e transformando a realidade daqueles que o acompanhavam. Seu trono foi uma cruz e a sua coroa não era de ouro, mas de espinhos afiados!

Incenso:

O incenso era uma oferta apresentada a Deus. Na construção do tabernáculo, por exemplo, Deus ordenou que Moisés fizesse um altar para oferta de incenso à Ele (Êxodo 30:1) e Arão deveria queimar incenso à Deus todas as manhãs, quando fosse apagar as luzes ou quando fosse acende-las a tarde.

“Arão queimará incenso aromático sobre o altar todas as manhãs, quando vier cuidar das lâmpadas, e também quando acendê-las ao entardecer. Será queimado incenso continuamente perante o Senhor, pelas suas gerações.” (Êxodo 30:7-8)

No Santo dos santos, o local em que apenas o sacerdote poderia entrar, uma vez ao ano, para oferecer o sacrifício pelos seus pecados e os do povo.

“Porá o incenso no fogo perante o Senhor, e a fumaça do incenso cobrirá a tampa que está acima das tábuas da aliança, a fim de que não morra.” (Levítico 16: 13)

Em apocalipse, quando Deus desacortina o tempo do fim diante dos olhos de João, o próprio Jesus o ensina sobre o novo significado do incenso sob a perspectiva do Novo Testamento.

“Logo que tomou o livro, os quatro seres viventes e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo cada um deles uma harpa e taças de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos. (João 5:8)”

Resumindo a questão do incenso, no Antigo Testamento ele era uma forma de oferta a Deus. No Novo Testamento nossa vida é uma oferta ao Senhor e a nossa oração faz o antigo papel do incenso, ela faz com que Deus nos ouça. A oração é a forma que temos para chegarmos até a Deus. Cristo é a oferta perfeita e eterna. Não há mais necessidade de sangue de animais, Jesus já derramou o seu sangue por nós.

Mirra:

A mirra é uma resina retraída de uma árvore espinhosa e que tinha uma função farmacêutica. Era muito usada em tratamentos de feridas e sangramentos por conta de seu alto teor antisséptico. Outra função atribuída a ele à época era o preparo para funerais.

Na morte de Jesus, ela estava presente na mistura que Nicodemos providenciou para cumprir a cerimônia judaica de sepultamento.

“Ele estava acompanhado de Nicodemos, aquele que antes tinha visitado Jesus à noite. Nicodemos levou cerca de trinta e quatro quilos de uma mistura de mirra e aloés. Tomando o corpo de Jesus, os dois o envolveram em faixas de linho, juntamente com as especiarias, de acordo com os costumes judaicos de sepultamento.” (João 19:39-40)

Quando os magos entregam a mirra a Jesus, ainda que não saibam, estão anunciando seu sofrimento e morte. Como já havia sido profetizado por diversas vezes no Antigo Testamento, ele sofreria por nós. Em Isaías 43 a profecia é que ele seria moído por nossas iniqüidades e ferido por nossas transgressões. Cristo sofreu e morreu por nós, para que se abrisse a nós a possibilidade de Vida Eterna!

Finalizando, os magos vindos do oriente (a bíblia não informa quantos são) não trouxeram esses presentes por acaso. Eles reconheciam em Cristo, enquanto ser humano, um Rei, Profeta e Sacerdote. E no Cristo filho de Deus, um Rei Eterno, Deus e Salvador que deu a sua vida por nós!

Feliz Natal!

Comentários no Facebook