Carta aberta aos pastores sérios

Carta aberta aos pastores sérios

image

Por Thiago Schadeck

A paz do Senhor!

Antes de qualquer coisa, quero deixar claro que não sou pastor e nem tenho qualquer parente próximo que seja, mas tenho acompanhado, ao longo de minha vida, o que os verdadeiros líderes, servos de Deus tem passado para continuar cumprindo seu chamado e ministério.

Caro pastor que leva a sua vida espiritual a sério, não quero te desanimar, mas tenho certeza que sua vida não tem sido fácil. Não porque te conheço e sei dos seus problemas e sim porque para os que desejam exercer o ministério pastoral da forma que a Bíblia ensina e que Cristo fez têm de padecer muitas dores e aflições.
É pastor, se te disseram que pregar o Evangelho que a Bíblia apresenta seria fácil, eu sinto em lhe informar, mas mentiram para você. O verdadeiro Evangelho não é popular e quase ninguém quer ouví-lo. Os ouvidos das pessoas gostam de ser massageados com palavras de autoajuda e que fazem nos sentirmos melhores. Mas ainda assim, se você realmente é um pastor sério, tem a certeza de que um dia terá de dar contas a Deus sobre cada ovelha que lhe foi confiada, inclusive aquelas que ninguém da qualquer valor.
Talvez sua própria família compreenda porque você ainda insiste em seguir em frente nesse ministério que traz mais dor que recompensa, mas que ainda assim você crê que foi Deus que o escolheu para fazer a diferença nessa terra. E aqueles que te criticam por não querer dar a eles o espaço que desejam para “pintar e bordar” e mostrar que eles tem talentos que os tornam superiores aos demais crentes.
Quem sabe seus filhos queiram se afastar da igreja porque não suportam ouvir as pessoas falando mal de você pelas costas e na sua frente te tratando como homem de Deus. Sei de sua tristeza quando seu filho diz que não quer ingressar no ministério pastoral, mesmo tendo o chamado, porque cresceu vendo por tudo o que você passou e por todas as privações que teve de enfrentar.
E aqueles que você pensava ser seus amigos, pessoas de confiança, mas que na verdade desejavam te ver longe da igreja porque queriam o seu lugar e o “poder” que ele proporciona. Queriam as honras de ser chamados de “pastor”, mas não queriam as dores de “pastorear”.
Quantas e quantas vezes você perdeu noites de sono, visitando e consolando os irmãos que fraquejavam na fé, mas que não teve uma mão estendida ou um ombrl amigo nos momentos de dor e tristeza. Momentos esses, aliás, que tiveram de ser enfrentados no vazio de seu quarto, mas quando saía à rua tinha que ter a cabeça erguida, por ser exemplo à sua congregação e um fraquejo seu poderia colocar muitas vidas à perder.
E as vezes que você deixou de tirar a ajuda de custo e levar mantimentos pra sua casa, para ajudar aquele irmãozinho desempregado e ainda assim ser zombado pelos vizinhos e chamado de ladrão pelas costas.
Sei também que não foram poucas as vezes que você pensou em chutar tudo para o alto e viver uma vida “normal”, trabalhar e ganhar o seu sustento como qualquer outra pessoa. Ou que você quis apenas ser mais um membro e poder ser alimentado espiritualmente, mas não, era seu dia de pregar e encorajar àqueles que estavam mais fora que na igreja.

Basta olhar para a vida de Paulo que podemos compreender que a vida do chamado por Deus não seria um mar de rosas, mas ainda assim é possível ser fiel a Deus. Mesmo que por conta disso perca a cabeça!

Mantenha-se firme, pastor, porque se foi Deus mesmo que te chamou e você tem essa certeza. Ele vai te dar forças pra cumprir tudo aquilo que Ele mesmo planejou para a sua vida, nenhum dos planos dEle pode ser frustrado.
Deus é soberano e todo-poderoso, todas as coisas estão sujeitas à Sua vontade e não há quem seja maior que Ele.

Que Deus te abençoe nessa caminhada e que você seja bênção na vida de sua igreja e eles na sua.

Comentários no Facebook