Mês: Março 2018

REFLEXÃO: Em que você crê?

REFLEXÃO: Em que você crê?

Em que você crê?

Por Josisley Souza

Olá Passageiros, a paz do Senhor!

Já à algum tempo não escrevo nada, resolvi abrir o bloco de notas e jogar alguns pensamentos. Vou tentar fugir da rotina de discussões políticas.

Pense comigo. Em que você acredita? O que motiva sua vida? Como a sua fé se relaciona com o seu dia a dia social, na empresa, na escola, com os amigos, com as pessoas que você se conecta pelas redes sociais? Qual a impressão que o mundo ao nosso redor tem de você?

Estes questionamentos me levaram a passagem, onde Paulo fala do seu espinho na carne, a saber:

E, para que não me exaltasse pela excelência das revelações, foi-me dado um espinho na carne, a saber, um mensageiro de Satanás para me esbofetear, a fim de não me exaltar. (2 Coríntios 12:7)

São muitas as discussões sobre esta passagem, mas a mim a leitura é direta. Paulo não era um homem perfeito, e durante sua vida, havia algo, talvez um pecado, que o perturbava, como um espinho que lhe fere a carne.

Esta passagem é muito rica, para quem perceber que Paulo foi um homem, um ser humano, assim como o pastor, eu e você. E enquanto homens, somos falhos, a nós é impossível alcançar a perfeição do nosso criador (Deus).

Se por um lado esta constatação nos remete a constante busca pela graça do Pai, para outros soa como se a salvação, prometida por Jesus ao nos libertar na cruz, fosse algo inalcançável, impossível para nós homens/mulheres.

E esta descrença da possibilidade de salvação, vem a falta de temor, e sem o temor, vem a impossibilidade de enxergar o que não é lícito aos olhos do Pai, dando espaço para que o “mundo” tome o nosso coração, nos levando para longe do amor de Deus.

Respondendo a questão inicial, creio que Deus, em sua grandeza e plenitude, rege minha vida e nos dá o livre arbitrário, para irmos da direita para a esquerda, ir e voltar, levantar e abaixar. É muito difícil compreender, que um ser onisciente e onipresente, seja capaz de nos dar o livre arbítrio, mas não devemos esquecer, que toda a palavra a nós revelada, intenta em demandar nossas necessidades básicas e nos guiar para a plena salvação.

Continuando, todos nós temos nossas feridas e espinhos, e Deus nos guia pelos melhore caminhos, e nós escolhemos, andar pelo caminho mais lento e chegar de forma segura, ou pelo mais rápido e eventualmente prazeroso para o corpo, mas não chegaremos juntos ao Pai.

Se a sua fé declarada, esta diante do Deus único e trino, atente para estar próximo do seu trono, alimentando-se da sua palavra, do seu amor, da sua virtude e graça.

As lágrimas são a todos, o vento, a chuva, o sol e a noite. Mais principalmente a palavra que o Pai nos deixou. A bíblia nos alerta “quem tem ouvidos ouça o que o espírito diz a igrejas” (apocalipse 2:7), esta passagem quando lida por um jovem ou ancião tem o mesmo peso. Pense nisto.

Que Deus nos abençoe!

Compartilhe com seus amigos Compartilhe com seus amigos

A igreja evangélica que adora o Diabo

A igreja evangélica que adora o Diabo

Igreja evangélica pentecostal que adora o Diabo

Por Thiago Schadeck

Em um lugar distante, havia uma igreja evangélica que tinha uma forma muito peculiar de culto. O culto era todo voltado ao Diabo. Você pode até se assustar e achar exagero meu, mas esse padrão de culto, que coloca o Diabo no centro de tudo, se espalhou de tal forma que certamente tem uma igreja próxima à sua casa adotando-o.

Lembre-se que tudo o que tira Deus do foco, é, ainda que indiretamente, uma adoração ao Diabo.

O culto nessa igreja funciona mais ou menos assim:

Oração inicial:

A oração inicial deve ser feita por alguém especializado em batalha espiritual, que conheça muito bem as estratégias e artimanhas de Satanás, assim pode repreende-lo com uma oração nesses moldes:

“Senhor, estamos aqui para mais um culto e repreendemos toda a ação de Satanás, todos os planos do Diabo para atrapalhar esse culto, que a pomba gira, o tranca rua, o Exú Mirim e toda a legião de demônios que o inferno mandou para guerrear conosco caia por terra e que sejam falidas todas as suas ações. Satanás, você não tem poder contra rsse culto porque você é um derrotado, bata em retirada em nome de Jesus, amém!”

É importante saber vários nomes do Diabo para poder repreender usando o nome que ele usa para cada situação.

Leitura oficial:

Depois disso, vem a leitura oficial da abertura do culto. Escolha mais algum texto que fale do diabo assombrando algum servo de Deus. Pegue um versículo isolado e explane sobre ele.

“Simão, Simão, Satanás pediu vocês para peneirá-los como trigo.” (Lucas 22: 31)

“Vire para o irmão do lado e diga: ‘o Diabo quer bagunçar sua vida’.

Irmãos, o Diabo não brinca em serviço. Sabendo que Pedro seria um grande homem de Deus, então tratou logo de querer bota-lo numa pedeira e chacoalhar toda sua vida. Quando o peneirador peneira a areia, ele chacoalha e gira sua peneira fazendo tudo pular e se movimentar, impossível as pedras resistirem, elas tem que se mexer. O diabo quer te tirar do centro e te fazer andar pra onde ele quer, como as pedras da peneira.”

Louvor:

Os louvores nesse culto, devem ser daqueles de guerra mesmo. Tem que marcar território e ir pra cima do Diabo sem dó. Sugiro aqui dois desses louvores a serem entoados:

Comece com “Fogo no Diabo” do Missionário RR Soares.

A letra não é bíblica, mas ninguém se importa. O que vale é humilhar satanás.

O outro louvor pode ser o “Não Toque no Ungido” da cantora Damares.

https://g.co/kgs/BmBUV8

Deixe bem claro que somos tão especiais e xodózinhos de Jeová que o Diabo ta louco pra nos pegar.

Dízimos e ofertas:

Não pode, de forma alguma, faltar a leitura de Malaquias 3:10. Não pode ter dó, chame aqueles que não querem entregar o dízimo de ladrões, frize que estão roubando a Deus e dando legalidade ao demônio (mesmo que não seja) devorador entrar na casa deles. Use frases de efeito como:

“O que você não gasta com dízimo, vai gastar na farmácia.”

“Deus vai deixar o diabo furar os quatro pneus do seu carro.”

“O devorador vai roubar o gás do seu fogão, você vai ficar sem poder fazer a janta.”

“Se você não se importa de hospedar o devorador na sua casa, tudo bem.”

O mais importante nesse ponto do culto é fazer as pessoas se sentirem amedrontadas e entregarem até o que não for pedido. Se eles tiverem esse medo de perder para o Diabo, entregarão a “Deus” sem pensar.

Pregação:

Obviamente deve ser algo voltado para a batalha espiritual. Como esse tema é tratado em muitas igrejas de uma forma muito diferente da Bíblia, convide alguém que não use as Escrituras para dar base à sua mensagem, mas suas próprias experiências e livros de autores renomados, como ex-satanistas. Os crentes gostam disso.

A igreja deve ser lembrada a cada frase de que o Diabo é muito poderoso e tem o controle desse mundo. Que ele vive brigando de igual pra igual com Deus e que algumas vezes ele até chega a ganhar, por isso que as pessoas saem da igreja. Deus não teve força suficiente para segurá-la e o Diabo venceu.

Óbvio que isso não é uma verdade bíblica, mas quem liga? As pessoas querem mesmo é se sentir disputada, valorizada e importante.

Nessa pregação também deve ser ressaltado que pessoas trazem consigo maldições hereditárias, traumas causados pelo diabo e fracassos por ações de demônios. Repito, não importa o que a bíblia diz, vale mais a experiência do ex servo do capiroto.

Oração de libertação:

Engatado à pregação deve vir uma oração mais ou menos assim:

“Satanás EU te repreendo e EU te expulso, uso agora a MINHA autoridade pra dizer que você não tem mais legalidade sobre essa vida. Ela ouviu a mensagem que foi pregada por MIM hoje e decidiu tomar posse das palavras que EU liberei no altar e vai mudar porque EU determino isso. EU decreto a falência do inferno e a exaltação desse povo em nome de Jesus.”

Encerramento do culto:

O culto deve ser encerrado com uma oração de agradecimento rápida a Deus e determinar em alto e bom som que caiam por terra todos os planos de retaliação do Diabo. E assim que a bênção apostólica for dada o pregador se dirige a um canto para poder orar pelas pessoas e ungir fotos, objetos, roupas e etc. Assim ele espalhará sua “unção”.

Conclusão:

É muito difícil admitirmos isso, mas muitas igrejas se perderam nessa história (e histeria) de batalha espiritual e agora vê Diabo em tudo e só falam nele.

Creio sim que o Diabo é o inimigo de nossas almas e que quer nos tragar de volta para suas garras miseráveis, porém creio que sirvo a um Deus muito maior a quem ele também está sujeito. Satanás não pode se mover um milímetro se Deus não permitir, basta ler a história de Jó para constatar isso. Ou seja, se Deus não der a autorização, o Diabo não pode nos tocar, porém se Ele autorizar, não vai ser a nossa oração que irá parar a ação do Inimigo. Por isso a nossa oração deve ser: “Pai, cumpra em mim a Tua boa, perfeita e agradável vontade!”

O Diabo não está ao mesmo nível de Deus para enfrentá-lo e vencê-lo, portanto, maior é o que está em nós!

Deus te abençoe!

Fique à vontade para comentar e compartilhar com seus amigos!

Compartilhe com seus amigos Compartilhe com seus amigos