Mês: agosto 2017

INCOERENTES: Queremos UBER exclusivo para mulheres e banheiros unissex

INCOERENTES: Queremos UBER exclusivo para mulheres e banheiros unissex

Por Thiago Schadeck

A notícia de que a PUC (Pontifícia Universidade Católica) implantará o banheiro unissex em seus campi mexeu com a internet. Uma avalanche de elogios e críticas tomou os sites que traziam a informação. De um lado quem achava ser uma atitude “lacradora” dizia que isso será bom e ensinará as pessoas a se respeitar. Do outro, os que são contra alertam que isso será um precedente para que barbaridades aconteçam em um espaço que, por lei, não pode ser monitorado.

O feminismo que tanto diz defender as mulheres dos “machos opressores” jogam os “potenciais estupradores” no ambiente em que as mulheres mais se tornam vulneráveis (a não ser que já consigam usar o banheiro de roupa e eu não saiba). Reclamam de homens que mostram suas genitálias na rua, mas não se importam se o fizerem no banheiro unissex? Afinal, num mictório com apenas uma pequena divisão – quando tem – não é capaz de evitar quando alguém quer mostrar mais que deveria.

Mulheres brigam com unhas e dentes por vagões exclusivos no metrô, por motoristas mulheres para o UBER, a criação de um sistema de transporte exclusivo para o público feminino (trans e afins também são considerados mulheres por eles) com o intuito de evitar os abusos sexuais, mas topam tranquilamente que o passageiro do metrô e o motorista do UBER usem o mesmo banheiro que elas. A incoerência chega a ser inacreditável.

Se, segundo as feministas, todo homem é um potencial estuprador, por quê deixá-lo usar o mesmo banheiro que elas?
Podem anotar: as queixas sobre abuso sexual nesses banheiros serão cada vez mais frequentes e sempre terão o objetivo de desmoralizar o “macho hétero patriarcal opressor”. Na verdade elas não estão nem um pouco interessadas em fazer homens e mulheres se respeitarem e orientar acerca dos abusos sexuais. O que elas querem mesmo é que os homens sejam expulsos aos poucos desses banheiros até finalmente ter uma lei aprovada que permita aos gays, travestis, trans e qualquer outra pessoa que se enxergar como uma mulher possa utilizar o banheiro feminino. Obviamente é uma jogada sutil dos gayzistas (diferente de quem luta pela causa) para que consigam evoluir em pontos que hoje ainda são difíceis de avançar, como a ideologia de gênero, por exemplo.

E se o estuprador se enxergar como uma mulher lésbica, qual a pena?
Segundo a lei da Identidade de Gênero o sexo não pode e nem deve ser definido pelos órgãos genitais. Na verdade, segundo a Erika Kokay e o Jean Willys, criadores do projeto, o que define o sexo de alguém é a forma como a pessoa se vê e não como a sociedade define. Como escrevi no texto sobre o apoio do Criança Esperança à essa idéia (link no final desse texto), essa lei abre um enorme precedente para a pedofilia. Quando alguém for pego estuprando uma criança, poderá usar a desculpa de que se auto percebe como uma criança e que não pode ser julgado por isso.

Isso poderá acontecer também caso o safado seja pego estuprando uma mulher. Se ele se auto perceber uma mulher lésbica, mesmo tendo nascido homem – a versão inversa da Ivana da novela “Amor à Vida” – qual será a pena? Se ele se vê como uma mulher e contrariar isso é crime de intolerância e preconceito, portanto deverá ter seu testemunho aceito sem precisar passar por qualquer análise psicológica, conforme determina o projeto de lei.

O que fazer com os adolescentes?

Muitas escolas enfrentam problemas com os adolescentes por conta da puberdade e os hormônios à flor da pele. Isso porquê é nessa fase que eles começam a se descobrir, inclusive sexualmente. As mudanças no corpo começam a ficar cada vez mais evidentes e despertam o olhar do sexo oposto. Nessa fase também são muito comuns os namorinhos com pessoas que estudem no mesmo colégio, fazendo os novos casais procurarem lugares mais reservados para poder ficar mais à vontade, o que leva os diretores a investir em mais inspetores e coibir isso de alguma forma, já que é quase impossível acabar.

Há poucos dias fiquei sabendo que um colégio particular perto da minha casa colocou preservativos no banheiro. Em outras palavras eles assumiram que não tiveram capacidade de evitar que os alunos façam sexo nas suas dependências então que ao menos se previnam. Se em um colégio que tem banheiros separados já foi necessário tomar essa atitude, imagine em um unissex?

Na verdade eles querem mesmo “libertar” os jovens para que tenham uma vida sexualmente ativa e desregrada desde cada vez mais cedo. Querem acabar com a inocência das crianças, sexualizando-as cada vez mais jovens. Hoje já vemos crianças de onze, doze anos que namoram e que muitas vezes nem são virgens mais. São crianças que estão sendo adultizadas precocemente.

E quando precisarem trocar de roupa para uma aula específica?

É muito comum que os alunos troquem de roupa quando tem aula de educação física, por exemplo, então vão ao banheiro e se trocam. Óbvio que não tem box para todos, então tem que se trocar alí no “hall” do banheiro mesmo. Se o rapaz ficar pelado diante das mulheres, ele será acusado por ato libidinoso? Ou por ser um banheiro unissex ele estará livre de culpa e poderá se aproveitar disso para realmente cometer abusos contra as mulheres, mesmo sem tocá-las?

E no caso de colégios que tem mais estrutura e os alunos tem chuveiro para tomar banho após as aulas de educação física, tudo bem todos se virem nus? Ou serão banhos ao estilo BBB?

Estão abrindo brechas gigantes para que nosso país caminhe para um abismo muito maior. A cada dia tentam nos fazer acreditar que os usos de drogas e sexo sem compromisso são coisas normais, que a homossexualidade é a nova tendência entre os jovens e que ser conservador é ser mal e preconceituso. Demonizam as religiões, mas tem o Estado como um deus. Se dizem livres, mas estão aprisionados à um estilo de vida que não os faz felizes.

Que Deus tenha misericórdia de nosso país e que voltemos aos trilhos!

LEIA AQUI: “A Ideologia de Gênero defendida no Criança Esperança é porta aberta à pedofilia!” https://t.co/AKwW3B4vTD

LEIA AQUI: O projeto de lei da Identidade de Gênero download direto do site da Câmara

Lâmpada incandescente – #Repost

Lâmpada incandescente – #Repost

“Vocês são a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade construída sobre um monte” (Mateus 5:14)

Por Odilar Júnior

Qual a função da lâmpada? Iluminar um ambiente escuro. O modelo incandescente foi o primeiro dispositivo criado para gerar luz utilizando a energia elétrica e assim, substituir as velas e lamparinas. Mas, devido a sua estrutura e o material que ela compõe, apenas 5% da energia consumida é convertida em luz, os 95% restantes se transforma em calor, ou seja, a maior parte da energia consumida é desperdiçada, por não cumprir a sua função principal de maneira satisfatória.

Por mais que ainda não sejamos perfeitos e ainda sermos falhos e pecadores, uma parte do cristianismo atual tem se comportado como a lâmpada incandescente. O mundo se encontra em trevas e cada dia pior e nós portamos uma mensagem de esperança, que pode sinalizar com uma luz em meio a este caos. Porém, muito de nós, prefere gastar energia e tempo com aquilo que não edifica.

Cristo nos chamou das trevas para sua maravilhosa luz (1 Pedro 2:9) e nos transportou para o Seu Reino (Colossenses 1:12-14). Ainda disse que somos a luz do mundo (Mateus 5:14) e que a nossa luz “resplandeça diante dos homens, para que vejam as nossas obras e glorifiquem a Deus, o Pai” (Mateus 5: 16). Fomos chamados para refletir a Sua glória e viver o Seu Reino aqui na terra com palavras e ações, até o dia de Sua vinda. Fomos chamados para promover a proclamação da mensagem do Evangelho para que todos conheçam a Jesus Cristo e experimentem ter um real encontro com Ele para que haja uma real transformação em suas vidas. No entanto, muitos gastam sua energia em promover algo que não edifica, em assuntos periféricos que não levam a lugar algum. O ruim disso é que pode gerar um mau testemunho, causando um desserviço para o Reino e fomentar ódio, contendas e aversão a tudo que é relacionado ao Cristianismo e seus princípios, manchando até mesmo aqueles que têm um compromisso sério com a missão. São como uma fruta podre que contaminam todo o cesto.

Precisamos entender que não podemos dar motivos para que a Palavra de Deus seja negligenciada aos que não conhecem e sim sermos “irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo, retendo a palavra da vida”(Filipenses 2:15-16 a). Que vivamos não como as pessoas deste mundo, mas deixemos que Deus nos transforme por meio de uma completa mudança de mente. Assim conheceremos a vontade de Deus, isto é, aquilo que é bom, perfeito e agradável a Ele (cf. Romanos 12:2).

Então, antes de tudo, busque a Palavra de Deus e medite nela. Não fique apenas na mensagem ouvida, procure confrontá-la com a Palavra. Só assim, você poderá ter uma posição seja diante de uma situação, escândalo, mensagem ou notícia que vier. O mundo está cheio de disseminadores de ódio a pessoas que não pertencem ao seu grupo ou às suas ideias, pessoas que usam o Evangelho para se autopromover, se enriquecerem por meio da fé ingênua das pessoas, por meio de objetos; ou utilizam textos isolados para justificar suas loucuras e ações indiscriminadamente. Hoje, vemos idolatria a cantores e líderes gospel, quando a glória é somente a Deus (Isaías 42:8; Romanos 11:36), pessoas que se acham os novos profetas deste tempo, com novas revelações, como se o que foi revelado na Bíblia não fosse o suficiente. Fujam disto e recorram a Palavra de Deus (2 Timóteo 3:16-17). “Que suas conversas sejam agradáveis e de bom gosto e que vocês saibam também como responder a cada pessoa” (Colossenses 4:6 – NTLH).

Não seja como a lâmpada incandescente, que consome muita energia, gera pouca luz e produz muito calor. Não se empenhe demais em questões que não levam a lugar nenhum e foquem e se dediquem no essencial: Cristo, Seu Reino e a mensagem Real.

Para que não tenham o mesmo destino da lâmpada incandescente, que já caiu em desuso no Brasil e seu uso foi proibido em toda a Europa:

“Produzam frutos dignos de arrependimento. Toda árvore boa produz bons frutos e toda árvore má, produz maus frutos. Portanto, pelos frutos os conhecereis. E também agora está posto o machado à raiz das árvores; toda árvore, pois, que não produz bom fruto, é cortada e lançada no fogo.” (Mateus 3:8,10; 7: 17,20)

Sigam a Jesus e busquem fortalecer a sua comunhão com Ele, através da oração e do estudo da Bíblia:

“Eu sou a videira e vocês são os ramos. Quem está unido comigo e eu com ele, esse dá muito fruto porque sem mim vocês não podem fazer nada. Quem não ficar unido comigo será jogado fora e secará; será como ramos secos que são juntados e jogados no fogo, onde serão queimados” (João 15:5,6 – NTLH).

A lâmpada só consegue cumprir sua função (iluminar) quando está em contato com a corrente elétrica. Sem isto, ela é inútil. Logo, estejam ligados a Cristo e Ele fortalecerá vocês com Seu poder, para brilharem neste mundo para a glória de Deus.

Notas:

Compartilhe com seus amigos Compartilhe com seus amigos

Você não é CABEÇA e nem CAUDA

Você não é CABEÇA e nem CAUDA

Tenho certeza que alguém já te disse que deveria se animar porque você é cabeça e não cauda. Claro que essa pessoa – normalmente um profeta – usa um texto do antigo fora do contexto e tenta aplicar uma história do Antigo Testamento aos nossos dias. Insistem em tentar trazer a lei para dentro da graça.

Se você já leu o texto de Deuteronômio 28, sabe que a primeira parte fala sobre as bençãos (versículos 1 ao 14) e as maldições (versículos 15 ao 68). Note, 14 versículos sobre bençãos e 53 sobre maldição. Advinhe quais os crentes sabem decorado? Obviamente os catorze primeiros e ainda assim sem se dar conta do propósito e para quem foi escrito. Esse texto é claramente escrito para Israel e não para a Igreja, o que já o coloca sob judice acerca de sua aplicação em nossos dias.

Vamos ao versículo que deu origem ao texto e a milhares de congressos, eventos, cultos e principalmente campanhas:

“O Senhor fará de vocês a cabeça das nações, e não a cauda. Se obedecerem aos mandamentos do Senhor, do seu Deus, que hoje lhes dou e os seguirem cuidadosamente, vocês estarão sempre por cima, nunca por baixo.” (Deuteronômio 28: 13)

No capítulo 12, Moisés se dirigiu ao povo de Israel e para transmitir aquilo que Deus o mandara falar. Esses capítulos são orientações de como o povo de Israel deveria servir a Deus. Era basicamente um conjunto de pode e não pode. Não a toa é chamado de Lei. Não há exceções, deve-se cumprir.

Mas se a Bíblia é uma junção entre o Novo e o Antigo Testamento, que não tem contradição entre si, como posso ter certeza que a Igreja não é cabeça?

Deus cuidou de Israel porque tinha uma promessa maior:

Israel, assim como a Igreja, é o povo escolhido por Deus. Lendo os cinco primeiros capitulos da bíblia, podemos ver nitidamente um cuidado de Deus para com eles. Foram livres do domínio de Faraó e da opressão do Egito, passaram 40 anos no deserto e Deus os supriu com maná e cordonizes. Durante o dia havia uma nuvem que não deixava que o sol escaldante não os desidratasse. A noite tinha uma coluna de fogo para esquenta-los do frio abaixo de zero do deserto os congelasse. Foram conduzidos milagrosamente pelo mar vermelho aberto e à seco. Quando Moisés subiu ao monte para receber as tábuas da lei, com os dez mandamentos escritos pelo dedo de Deus, o povo se juntou e fez um bezerro de ouro para ser adorado por eles.

Enfim, o povo de Israel era inclinado a se afastar de Deus. Idólatras e murmuradores que contaram com a misericórdia do Senhor para que se cumprisse neles e apesar deles a promessa de que da descendência de Davi viria o Messias – aguardado pelos judeus até hoje. O tempo passou e Deus enviou a eles os Juízes, Reis (alguans) e profetas para lembrá-los dessa promessa. Eles estavam sendo guardados porque deles viria o Rei dos reis. O Verbo se faria carne no meio daquele povo.

Cristo é o CABEÇA!

Paulo, inspirado pelo Espírito Santo, lança luz sobre esse assunto em suas cartas. Ele aponta em diversos momentos – veremos abaixo – as evidências de que a Igreja NÃO É CABEÇA.

A Igreja é composta por pessoas de todos os povos e não só Israel:

Quando Paulo escreve aos Gálatas, deixa bem claro que em Cristo não há diferenciação entre os povos, ou seja, os Judeus não são os detentores exclusivos das bençãos de Deus e tampouco da salvação.

“Não há judeu nem grego, escravo nem livre, homem nem mulher; pois todos são um em Cristo Jesus.” (Gálatas 3:28)

Cristo comprou para ele homens de todos os povos e nações. A Igreja se expandiu pelo mundo todo e desde o pentecostes arrebanha os salvos em Cristo de todas as partes da terra, não apenas judeus.

“…E eles cantavam um cântico novo: “Tu és digno de receber o livro e de abrir os seus selos, pois foste morto, e com teu sangue compraste para Deus homens de toda tribo, língua, povo e nação.” (Apocalipse 5:9)

“Depois disso olhei, e diante de mim estava uma grande multidão que ninguém podia contar, de todas as nações, tribos, povos e línguas, de pé, diante do trono e do Cordeiro, com vestes brancas e segurando palmas.” (Apocalipse 7:9)

CRISTO é o cabeça da Igreja:

Na segunda carta que Paulo escreve aos Coríntios, descreve a Igreja como o corpo e Cristo a CABEÇA desse corpo. Os membros (nós) têm sua função específica no corpo e a CABEÇA (Cristo) o conduz conforme Sua própria vontade.

Aos Efésios, Paulo afirma categoricamente que Deus colocou CRISTO como CABEÇA de todas as coisas:

“Deus colocou todas as coisas debaixo de seus pés e o designou como cabeça de todas as coisas para a igreja, que é o seu corpo, a plenitude daquele que enche todas as coisas, em toda e qualquer circunstância.” (Efésios 1:22-23)

“Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo.” (Efésios 4:15)

Aos Colossenses, Paulo também escreve ressaltando a verdade de que Cristo é a Cabeça:

“Ele é a cabeça do corpo, que é a igreja; é o princípio e o primogênito dentre os mortos, para que em tudo tenha a supremacia.” (Colossenses 1:18)

Conclusão:

Quando alguém vier dizer que você é cabeça, repreenda com amor e diga que não quer tomar o lugar de Cristo. Ele é o cabeça de tudo. O Pai O colocou como CABEÇA e todo o corpo cresce ajustado com e por ele.

Querer ser cabeça é cobiçar o lugar que é de Cristo. O pecado de Satanás foi exatamente esse. Talvez você tenha sido ensinado que deveria ser cabeça e por ignorância creu nisso, mas agora que sabe da verdade, oriente aos que ainda crêem errado, para que eles reconheçam que Cristo, e apenas ele, é o cabeça!

Venha pregar em minha igreja!

Venha pregar em minha igreja!

É muito comum que ao ser apresentado a outros pastores, geralmente acompanhado de uma breve conversa, vem o seguinte convite: “vamos marcar um dia para você pregar na minha igreja!”. Dou aquele sorriso amarelo e penso: “esse cara nem me conhece e já quer que eu pregue em sua igreja!”. Infelizmente isso é muito comum, pastores que entregam o microfone e o púlpito de suas igrejas nas mãos de qualquer um que se identifique como pastor ou qualquer título que o valha e “capacite” a pregar.
Já reparou quantos pregadores postam em seus Facebooks que estão com “agenda aberta” para convites? Puxe assunto com um desses e demonstre interesse em levá-lo para ministrar em sua igreja. Automaticamente abre-se um catálogo de “produtos” que o tal pregador tem a oferecer: cura e libertação, campanhas, ministrações sobre dizimos, ofertas e prosperidade financeira; ministrações para casais e família (cidadão de 22 anos e solteiro) e, claro, apenas uma pregação simples. A grande maioria segue um padrão e imitam o pastor da tevê ou do congresso de missões que dita regra no ambiente pentecostal. Postam vídeos curtos falando frases de efeito, fazem algum milagre e terminam falando em línguas. É a versão em vídeo das propagandas de campanhas de igrejas nas rádios piratas.
O grande problema desses pregadores é que normalmente não congregam em nenhuma igreja. Quando congregam, são “pastores presidentes da denominação” e fazem com ela o que bem entendem. Conheço diversas dessas. O pastor não tem qualquer preocupação em largar a igreja nas mãos de qualquer obreiro para ir atender um convite para pregar. Agora pergunto: se ele não tem compromisso com o culto da própria igreja, terá com a minha? Se ele não se compromete com o ensino de sua igreja, deixando-a sempre que aparece outro compromisso, o que terá a transmitir à minha igreja? Um pastor que prioriza outras igrejas à sua terá moral para incentivar alguém a permanecer congregando?
Lembre-se que quando algum pregador de fora tem oportunidade em sua igreja, seu pastor torna-se automaticamente responsável por o que ele disser. Claro! A responsabilidade de cuidar, ensinar e alimentar bem o rebanho é dele e não do visitante. Portanto, antes de convidar alguém para pregar em sua igreja, avalie bem a vida e a teologia do pregador. Tenha referências de como ele cuida da própria igreja – se não congregar, exclua de sua lista imediatamente, assista algumas pregações dele e avalie se o que ele prega está de acordo com a bíblia.

Identidade de Gênero defendida no Criança Esperança é porta aberta à pedofilia

Identidade de Gênero defendida no Criança Esperança é porta aberta à pedofilia

Por Thiago Schadeck

O apoio aberto e declarado da Rede Globo à Identidade de Gênero:

Nesse final de semana aconteceu o ‘Criança Esperança’, projeto da Rede Globo em parceria com a UNESCO para arrecadar doações que ajudem a manter os projetos assistidos pela emissora carioca. Não vou me ater aqui ao fato de haver desconfianças de que a Globo usa o Criança Esperança para pagar menos Imposto de Renda, porque não há provas e não perderei tempo fazendo conjecturas. Também não vou me apegar ao fato dela ter bilhões de lucro e não reverter parte dele para esse projeto que, segundo ela mesmo, é tão importante, porque isso é um problema dela. Os seus acionistas são livres para fazer o que quiser com o dinheiro que ganham através da emissora.

Sendo ssim, quero falar objetivamente sobre os ideais que são divulgados pela Globo (e por outras emissoras, em menor escala) em sua programação. O programa “Encontro com Fátima Bernardes” faz abertamente apologia ao aborto, identidade de gênero, drogas, homossexualismo, feminismo dentre outros temas tidos como tabus pela “sociedade conservadora”. O “Profissão Reporter”, programa de Caco Barcellos que supostamente usa os jovens reporteres para cobrirem todos os lados da notícia é por muitas vezes – pra não dizer todas – tendencioso. “Amor & Sexo”, apresentado pela Fernanda Lima, como o próprio nome diz, aborda temas sexuais e sobre relacionamento. Claro que sempre sobre uma ótica liberal e que estimule a “diversidade”. Isso sem contar as novelas, as minisséries e filmes produzidos pela emissora, que sempre trazem algum tema polêmico para tentar enfiar a aceitação goela abaixo na sociedade. Atualmente a novela “A Força do Querer” traz Ivana, uma moça que não se aceita como alguém do sexo feminino e deseja, a qualquer custo e enfrentando o que enfrentar, transformar seu corpo e se tornar um homem. Além de todos os casais homossexuais que fazem as pessoas torcerem para que fiquem juntos no final. Tem também as traições que destroem uma família para construir outra, ou quando chega aos extremos, como o personagem do Alexandre Borges, que tinha quatro esposas ao mesmo tempo e quando descobriram ficaram amigas.

Deu para perceber o quão podre é a programação dessa emissora, não só a dela, mas é a que mais evidencia isso. Porém toda essa programação é voltada a ter lucro e atender a um público adulto, que sabe o que deve ou não assistir. O problema quanto ao Criança Esperança é que ele usa crianças e tem forte apelo ao público infantil. Até a edição do ano passado (31ª) a Globo foi extremamente sútil quanto a assuntos mais polêmicos, mas nesta edição (32ª) eles escancararam o que defenderão à partir de agora. O slogan “A sua esperança não está sozinha” é parte da jogada de marketing dos organizadores para dizer às crianças que eles estão ao lado delas em qualquer situação, inclusive na transexualidade.

Querem facilitar que as crianças troquem de sexo:

Existe uma lei tramita no Congresso Nacional, de autoria dos deputados Jean Willys (PSOL) e Erika Kokay (PT), que visa “ajudar” as pessoas que nasceram em um corpo que não se enquadram à sua visão de mundo. Nesse projeto de lei (colocarei o link para o download do projeto completo no final desse texto) a palavra “autopercebido” se repete por várias vezes.

Buscando sobre o tema na internet, descobri que há um CID (Cadastro Internacional de Doenças) que trata disso, o CID 10 – F64. Ele classifica a Identidade de Gênero, inclusive a infantil, como uma doença psíquica.

Resumindo, você se não é necessariamente o que todo mundo vê, mas o que você se sente. Nessa toada, o projeto tem como carro chefe a assistência às pessoas que se autopercebem em um corpo do sexo oposto ao que nasceu, independente da idade.

Vejamos alguns pontos dessa lei demoníaca:

Artigo 2º – Entende-se por identidade de gênero a vivência interna e individual do gênero tal como cada pessoa o sente, a qual pode corresponder ou não com o sexo atribuído após o nascimento, incluindo a vivência pessoal do corpo.

No caso de cirurgia para a troca de sexo, o artigo 8° é bem claro que a solicitação de mudança no corpo, seja hormonal ou cirúrgica deverá ser feita sem a solicitação de qualquer tratamento ou laudo psicológico. Será que é porque sabem que isso é um distúrbio?

Artigo 8º – Toda pessoa maior de dezoito (18) anos poderá realizar intervenções cirúrgicas totais ou parciais de transexualização, inclusive as de modificação genital, e/ou tratamentos hormonais integrais, a fim de adequar seu corpo à sua identidade de gênero auto-percebida.

§1º Em todos os casos, será requerido apenas o consentimento informado da pessoa adulta e capaz. Não será necessário, em nenhum caso, qualquer tipo de diagnóstico ou tratamento psicológico ou psiquiátrico, ou autorização judicial ou administrativa.

Note que o artigo 8° se refere aos indivíduos de idade, que já sabem o que querem da vida e devem ter discernimento para decidir se querem ou não trocar de sexo. Porém a parte mais demoníaca desse projeto de lei vem no parágrafo segundo:

§2º No caso das pessoas que ainda não tenham de dezoito (18) anos de idade, vigorarão os mesmos requisitos estabelecidos no artigo 5º para a obtenção do consentimento informado.

Os menores de idade, crianças e adolescentes que deveriam ser protegidos pelo ECA, terão agora o direito de mutilarem seus corpos ainda em formação e sob a tutela do Estado. Nesse parágrafo é citado o artigo 5°, estrategicamente colocado separado, mas que diz o seguinte:

Artigo 5º – Com relação às pessoas que ainda não tenham dezoito (18) anos de idade, a solicitação do trâmite a que se refere o artigo 4º deverá ser efetuada através de seus representantes legais e com a expressa conformidade de vontade da criança ou adolescente, levando em consideração os princípios de capacidade progressiva e interesse superior da criança, de acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente.

§1° Quando, por qualquer razão, seja negado ou não seja possível obter o consentimento de algum/a dos/as representante/s do Adolescente, ele poderá recorrer a assistência da Defensoria Pública para autorização judicial, mediante procedimento sumaríssimo que deve levar em consideração os princípios de capacidade progressiva e interesse superior da criança.

A lei diz expressa e claramente que o menor de idade que quiser trocar de sexo terá todo o apoio em fazer. Não será permitido que ninguém, nem mesmo os pais, se oponham. O Estado assume a responsabilidade de viabilizar a mutilação de nossos filhos. Sem laudo psicológico, sem acompanhamento, sem suporte pós cirurgia. Simplesmente faça a cirurgia e seja feliz, ou não, pelo resto da vida.

Ah, se depois disso a pessoa se arrepender, infelizmente os autores da lei não planejaram. Até porque, eles dão todo o apoio para quem quer deixar de ser hetero, mas reciminam com todas as forças os que buscam deixar a homossexualidade, transexualidade, transgênero e etc.

Espero estar muito errado, mas certamente veremos inclassificáveis suicídios em breve. Uma decisão desse peso, tomada de forma errada, vai trazer um peso insuportável para a vida dessas pessoas. Que a responsabilidade recaia sobre aqueles que apoiam essa insanidade.

Por que a Ideologia de Gênero é uma porta aberta à pedofilia?

Se você leu até aqui com atenção, exceto quando disse e repito que esse é um projeto demoníaco, não entrei aqui em no mérito religioso. A discussão aqui é apenas no ramo do que a ciência diz. Isso é um transtorno psíquico.

Essa lei abrirá uma porta enorme para que alguém pego praticando a pedofilia saia ileso de qualquer acusação. Basta que no momento do flagrante ele alegue que se vê como uma criança. Olha a expressão autopercebido entrando em cena novamente, o pedófilo se autopercebe uma criança e portanto pode ter relações sexuais com ela sem problema. Segundo os deputados dementes que propuseram essa lei, o gênero sexual é apenas uma construção social e nada tem a ver com os órgãos sexuais. Seguindo essa lógica imbecil, logo também considerarão a idade como uma imposição social e que cada poderá ter a idade que quiser.

A esquerda introduz sutilmente suas ideologias através de seus braços midiáticos e educacionais e se não tomarmos cuidado agora, em breve o estrago será irreversível. Se nos calarmos, seremos culpados pela omissão e pagaremos cara em um futuro muito próximo. Questione os defensores dessa ideia e veja o quão perigosos são, em todos os sentidos.

Que Deus tenha piedade de nosso país e nossos filhos.

Compartilhe com seus amigos Compartilhe com seus amigos

A Esposa do Pastor

A Esposa do Pastor

Por Thiago Schadeck

A maioria dos cristãos, que congregam regularmente e tem algum compromisso com a igreja sabe que a vida do pastor não é fácil. Ele tem uma nobre função, como o Apóstolo Paulo diz em 1 Timóteo 3. O pastor tem como missão levar as ovelhas do rebanho que Cristo o confiou à conhecer e ter um relacionamento mais profundo com o Pai. Definitivamente, não é fácil pastorear ima igreja, seja qual for o tamanho dela.

O “sucesso” do ministério de um pastor depende basicamente de duas coisas: a sua intimidade com Deus e o apoio de sua esposa. Um pastor que não recebe apoio em casa está fadado a ser qualquer coisa, menos um pastor, biblicamente falando.

É a esposa do pastor que muitas vezes tem de abrir mão de ter a companhia do marido. Isso porque sempre tem alguém querendo conversar com ele, se aconselhar, pedir uma oração. Não foram poucas as vezes que vi pastores que eram convidados em alguma festa sendo puxados de canto por pessoas que precisavam desabafar sobre problemas no casamento, com filhos, trabalho e etc. Enquanto isso, sua esposa ficava deslocada em alguma rodinha, que claramente ela não estaria, se tivesse essa opção. Infelizmente as pessoas não conseguem compreender que o pastor deve ter seus momentos de lazer.

É a esposa do pastor que se assusta quando ele sai da cama num pulo porque acaba de receber a notícia que algum membro de sua igreja precisa de ajuda no meio da madrugada. É ela que fica sozinha pelo restante da madrugada, orando e intercedendo para que tudo dê certo e que seu marido volte logo e são para a casa. Todo mundo tem direito a descansar após o trabalho, menos o pastor. Ele tem que estar disponível 24 horas por dia.

É a esposa do pastor que não sabe quando foi o último domingo em que conseguiu ter a família toda reunida à mesa no almoço. O marido tem que dar aula na escola dominical, assitir o ensaio do ministério de louvor, preparar o sermão da noite e chegar cedo para abrir a igreja e ligar toda a aparelhagem para que quando os membros chegarem para o culto, tudo já esteja pronto. Poucas pessoas tem disposição para se colocar ao lado do pastor e dividir essa carga com ele.

É a esposa do pastor que sabe o que ele passa para honrar o chamado que recebeu, quando passa a noite acordado pensando como resolverá algum problema da igreja ou orando pelo casamento de algum casal de sua igreja que está diante de uma iminente separação. Nesses momentos ele só pode contar com sua esposa, que com sabedoria o acalma e o lembra que foi Deus quem o chamou e cuida de tudo.

É a esposa do pastor que embarca em um chamado que não é dela e serve de coluna no ministério do marido. Ela que coloca o braço do marido em seus ombros e o ajuda a ficar em pé quando suas forças se vão e todos lhe viram as costas. É ela que dá o suporte e o ânimo para seguir em frente mesmo quando ele erra. Eu creio que existam mulheres que tem o chamado para serem ESPOSAS DE PASTOR.

Certamente não é qualquer mulher que aguenta isso, ela deve ter um chamado por Deus e ser tão apaixonada por Jesus e Sua Igreja quanto o marido. Louvado seja Deus pela vida dessas mulheres!

Valorize não só a esposa de seu pastor, mas toda a sua família. Se o pastor for uma grande bênção para a igreja e falhar na comunhão e no cuidado de sua própria familia, então ele fracassou miseravelmente em seu ministério.

Apóie seu pastor a tirar uma folga de vez em quando, sair em férias pelo menos uma vez por ano, ter tempo com sua família.

Deseje que seu pastor tenha uma vida de qualidade com ao lado de sua esposa e filhos. Isso não tem a ver com dinheiro, mas com presença. Não lance um fardo ainda mais pesado sobre os ombros da esposa dele, a obrigação de educar os filhos não é só dela. Cuidar da igreja é uma das obrigações do pastor, cuidar se sua família é a sua missão primordial. O cuidado com a igreja será o reflexo de como ele cuida dos seus.

Ore, mas ore muito pela esposa do pastor porque o trabalho muitas vezes invisível dela é que o mantém em pé.

Louvo ao Senhor pela vida da Patrícia, minha esposa, que tem sido um grande apoio nessa nova e dura fase de minha vida!

Que Deus abençoe grandemente as esposas de pastor!

Compartilhe com seus amigos Compartilhe com seus amigos

Daniela Araújo e seu suposto uso de drogas. Qual a atitude a ser tomada?

Daniela Araújo e seu suposto uso de drogas. Qual a atitude a ser tomada?

O namorado da cantora vazou “sem querer” um áudio em que a cantora assumiu ser usuária de drogas. Ao que tudo indica é um áudio real e a voz é da Daniela, mas ela ainda não se manifestou à respeito do assunto.

Por Thiago Schadeck

A notícia de que a cantora Daniela Araújo é usuária de drogas caiu como uma bomba na internet ontem. O seu namorado vazou “sem querer” um áudio (colocarei o link no final desse texto) em que Daniela comprava drogas e que ao ser repreendida por ele, ficou extremamente irritada e agressiva. O traficante tenta argumentar que as drogas não trazem mal e que muita gente usa. Em todo tempo, a moça que supostamente é a Daniela Araújo, se coloca ao lado do traficante, pedindo insistentemente que ele a perdoe.

Como qualquer assunto, e o gospel não está livre disso, apareceram especialistas de todos os lados: os “não julgueis”, os que já condenaram a moça ao inferno, os que ficam felizes e tripudiam da igreja de Cristo, os ponderadores e etc.

Não sou especialista, mas tenho certa experiência em todos esses anos ajudando a pastorear a igreja e lidando com todo tipo de gente. Tivemos inclusive um caso que de certa forma é parecido. Como deve-se proceder quando há um fato tão delicado quanto esse?

Daniela deve ser abraçada:

Não estou aqui, de maneira alguma, defendendo que se passe a mão sobre a cabeça dela e a tratem como uma coitada que foi vítima das drogas. De certa forma ela é uma vítima, mas isso não a isenta de sua responsabilidade, ainda mais se tratando de alguém com tanta influência entre os cristãos, sobretudo os jovens.

A igreja que ela congrega, se é que congrega, terá de abraçá-la como se fosse sua filha e mostrar que há uma luz no final do túnel. Deverá mostrar o quão grave foi o seu erro, mas que ele não é maior que a misericórdia de Deus. Se ela se arrepender verdadeiramente, será perdoada e terá forças para mudar de vida.

Deverá afastá-la dos púlpitos e palcos:

Esse momento é delicado e não deve ter os holofotes que a Daniela se acostumou. Por mais que seja querida pelos amigos, familiares e fãs, ainda que seja, e acredito que seja mesmo, usada por Deus, não está em condições de subir ao púlpito para ministrar. Suas músicas falam muito sobre santidade e vida com Deus, o que ela demonstrou não ter, pelo que se pode ouvir no áudio. Claro que todos temos pecados e ainda não atingimos a santidade que teremos na glória, mas é muito diferente de alguém afundado em um vício. Seja quem for, se estiver nessas condições, deve ser afastado do púlpito até ser tratado por Deus e transformado.

Não que seja o caso da Daniela, mas alguns artistas gospel, quando pegos em alguma falha grave de caráter, somem por um tempo e depois retomam a carreira como se nada tivesse acontecido. A Daniela terá de lidar com a desconfiança sobre sua recuperação pelo resto da vida. A melhor forma de ela provar que foi regenerada é dando frutos.

Ela deve reconhecer sua condição:

O primeiro passo para a libertação é reconhecer que só sairá da posição lastimável que se encontra é reconhecer que o problema é maior que suas forcas e sozinha não será possível. Quem tem problemas com vícios, sejam eles quais forem, tem a tendência de acreditar que pode se livrar deles quando quiser e a cada tentativa sem sucesso se afunda mais.

Tem que analisar o que a levou às drogas:

É hora da Daniela fazer uma auto reflexão e entender quais os motivos que a levaram a entrar no mundo das drogas. Normalmente quem decide experimentar algum tipo de droga é porque não está satisfeito com o que vem vivendo e quer uma fuga para os seus problemas. É sabido que a cantora é separada do também cantor Leonardo Gonçalves (da música Getsêmani) e que passou por alguna períodos depressivos, o que podem os motivos para essa derrocada nas drogas.

Identificando os motivos, ela deve ser tratada, ministrada e discipulada para que consiga superar esses fatos e que as lembranças (da separação, por exemplo) ou as crises de depressão não tenham mais a força de jogá-la nas drogas, fazendo um estrago pior.

Rever a sua fé e teologia:

Ao que me consta, apesar de ser Adventista, ela havia abraçado uma teologia mais suave e liberal, daquelas que estão “com Cristo, mas não com a religião” e que vivem a “liberdade e não os dogmas”. Isso é perigoso demais, porque aprisiona as pessoas à essa “liberdade”, que na verdade é uma válvula de escape para pode viver como bem entender. Estava vivendo amasiada com o namorado, o que a Bíblia diz claramente ser um pecado.

Se ela se arrepender de verdade de sua condição, será inevitável que mude os seus pensamentos, modo de agir e, fatalmente, sua pregação. Não que tenha de virar uma legalista, mas o Evangelho de Cristo não é oba-oba.

Qual o nosso pepel?

Simples! Orar por ela.

Pedir ao Senhor que tenha misericórdia dela. Não só dela, mas de nós, dos nossos filhos, vizinhos, amigos, irmão da Igreja, enfim da nossa geração. Ninguém está livre de entrar para o mundo das drogas. O Diabo está ao nosso derredor buscando a quem possa tragar.

Só quem já vivenciou alguém que ama passando por esse terrível sofrimento de se livrar das drogas sabe o quanto é doloroso e traumático para todos. Essa moça tem pais, tem amigos e familiares que a amam e certamente estão sofrendo, ore por eles também.

Em tempo: o namorado que jogou tudo no ventilador não é nenhum santo e usou de um mal caratismo tremendo vazando esse áudio, poderia resolver isso de outra forma, trazendo um estrago menor. Quase no final do vídeo ele alega que a cantora deveria esconder o fato de ser drogada por que se fosse descoberto isso acabaria com a sua carreira. Sim, a preocupação dele era com a carreira dela.

Ouça o áudio completo aqui https://youtu.be/ejYrZ3OMHwo

Compartilhe com seus amigos Compartilhe com seus amigos

Uma reflexão sobre a conversão e o batismo de Wesley Safadão

Uma reflexão sobre a conversão e o batismo de Wesley Safadão

O cantor postou as fotos de seu batismo em seu Instagram e rapidamente se tornou um dos assuntos mais comentados nas redes sociais.

Por Thiago Schadeck,

Um dos assuntos mais comentados no meio gospel no final da última semana, principalmente através das redes sociais, foi o batismo do cantor Wesley Safadão. O próprio artista divulgou o fato através de seu Instagram. Ele e a esposa participaram de um retiro na Igreja Batista da Lagoinha e decidiram-se por descer às águas.

Obviamente que uma notícia dessas faz com que as pessoas tenham logo uma opinião e a tendência é que essa seja polarizada. Uns pensam que é só marketing e que ele abraçou o evangelho da moda. Outros se empolgam e já esperam um DVD gospel com o testemunho do Wesley, até então, Safadão. Assim como em qualquer outro assunto, o brasileiro aprendeu que deve escolher um lado e defendê-lo com unhas e dentes. É assim na política, por exemplo, em que se você não é PT, é automaticamente taxado de ser PSDB e vice versa.

Sabemos através da bíblia que a conversão é instantânea e garante a salvação, porém a regeneração e a santidade são um processo longo. Os discípulos que estavam 24 horas por dia com Jesus ainda tinham suas falhas de caráter. João queria que chovesse fogo sobre seus opositores, Pedro cortou a orelha do soldado que estava prendendo Jesus, Tomé duvidou que Cristo tivesse mesmo ressuscitado. Nós, convertidos, ainda temos maus hábitos que trazemos de nosso velho homem, ainda estamos nesse processo de santificação. A nossa vantagem é que somos anônimos e nossos erros não são expostos.

Batismo do Wesley Safadão

Claro que o Wesley não poderá continuar sendo “Safadão” e é óbvio que as letras de suas músicas deverão mudar, não pode ter mais aquele 1% vagabundo. O problema é que queremos que ele largue tudo hoje, sem pestanejar, mas toleramos o irmão da nossa igreja que ainda fuma, a irmã que ainda trai o marido, o jovem que fuma maconha. Simples, eles ainda não conseguiram se livrar desses pecados e estão na luta. Mas o Safadão não, ele já deveria renunciar tudo agora. Que chame uma coletiva de imprensa e avise que todos os seus shows estão cancelados. Os patrocinadores que se virem para devolver o dinheiro de quem já comprou ingresso. Ele não é da minha igreja, então que sejam radicais com sua postura. Os meus eu tenho mais paciência porque sei que discipular alguém não é fácil.

Aliás, o próximo e mais precioso passo que o Wesley deverá dar é aceitar ser discipulado e confrontado pela Bíblia. Alguém precisa dedicar tempo para ensiná-lo sobre as doutrinas básicas da Graça, sobre o que é ser cristão e principalmente em que implica a sua escolha por Cristo. Apenas conhecendo a Verdade que ele será liberto das amarras do pecado. Somente conhecendo as Escrituras que ele entenderá qual a vontade de Deus para a sua vida. Não creio que isso será feito por um anjo resplandecente que invadirá o quarto dele na madrugada, mas pelos pastores que agora são espiritualmente responsáveis por sua vida.

Se o Wesley continuará sendo Safadão ou será o Santarrão, ainda não sabemos. O nosso papel como cristãos maduros e – segundo nós mesmos – mais santos que ele é orar e pedir ao Senhor que conclua a boa obra que Ele começou na vida dessa família. Que Deus o desperte e lhe tire as escamas que não o permite ver que são pecadores e necessitados da graça de Cristo.

Que o Wesley entenda que a fama e o dinheiro podem ser muito bons nessa terra, mas não garantem a sua vaga na vida eterna. Que não foi por ouro e nem prata que ele foi comprado, mas pelo sangre precioso do nosso Senhor Jesus. Que renuncie essa coisas passageiras para abraçar o que é eterno.

Obs1: não defendo que ele “migre” para a música gospel e nem que lhe sejam dadas oportunidades para pregar ou contar testemunhos. Primeiro dê os frutos dignos de arrependimento e mostre que realmente se converteu, o restante acontecerá naturalmente, se tiver o chamado.

Que Deus abençoe o Wesley e sua família nesaa nova caminhada e que possam provar dessa maravilhosa graça e ter a satisfação de provar a caminhada com o Pai.

Obs2: Claro que há artistas que “se convertem” por marketing, como já escrevi no post “O GOSPEL É POP” e obviamente fazem mal à reputação da igreja, mas só se mostram com o tempo, não nos precipitemos em julgar. Tempo ao tempo!

Compartilhe com seus amigos Compartilhe com seus amigos