Mês: Fevereiro 2016

REFLEXÃO: A Selfie Espiritual

REFLEXÃO: A Selfie Espiritual

image

Por Thiago Schadeck,

As ‘selfies’ nunca estiveram tão na moda, hoje qualquer celular, por mais barato e simples que seja, vem com a câmera frontal, ou câmera de selfie. Qualquer encontro entre amigos, almoço em família ou até mesmo para mostrar o visual que vai para a balada ou para a igreja merecem uma selfie.
Talvez você não saiba o que é essa tal de selfie, então vou tentar te explicar resumidamente: selfie é uma foto que a pessoa tira de si própria, seja sozinha ou acompanhada. A selfie mais famosa, creio que tenha sido a da cerimônia de entrega do “Oscar 2015″, em que vários famosos se juntar am para a foto, que inclusive foi copiada no mundo todo.
As redes sociais são diariamente abastecidas de milhares de selfies de pessoas aparentemente felizes, bem resolvidas, sem problemas e de bem com a vida. Na maioria das vezes, um sorriso fingido, de pessoas mal resolvidas em suas vidas, carregando problemas aparentemente insolúveis e que preferiam morrer a ter de sair de casa. Pessoas que não assumem suas fraquezas porque tem medo da opinião dos outros, como eu assumirei que estou sem saída, que cheguei ao fundo do poço?
Quando se trata de cristãos, as coisas pioram exponencialmente. Diariamente ouvimos que somos mais que vencedores, que Cristo veio para nos dar uma vida boa, que não podemos sofrer e que Deus é dono do ouro e da prata, logo, nada de lamentar a falta de dinheiro.
Por trás de nossos falsos sorrisos há corações carrancudos, carregados de mágoas, mentes cheias de problemas e preocupações, almas abatidas, angustias e temores. Somos humanos, mas queremos nos passar como supercrentes. Temos limitações, mas queremos parecer imbatíveis. Somos pecadores, mas nos mostramos a última reserva de santidade.
Isso faz mal. Adoece! Quem guarda tudo para si e não reconhece seus limites e fraquezas, esta fadado à amargura e à depressão. Ter amigos de verdade é a melhor forma de se mater são. Ter um bom conselheiro, que saiba ouvir e guardar um desabafo é a única forma de se manter saudável física, emocional e espiritualmente.
Te convido a fazer uma selfie espiritual e levar alguns pontos em consideração:
O que você expressa por fora é realmente o que existe por dentro?
Ou essa fé que se mostra aos outros, é na verdade, apenas uma blindagem para não demonstrar a fraqueza e impede que as pessoas percebam que você é alguém normal, que apesar da fé,  tambem sente medo?

Que tem dias que você não quer ir à igreja?
Não existe ninguém que depois de um tempo de convertido que não tenha ficado com preguiça e, talvez, pensando em alguma desculpa para faltar ao culto. É normal que por vezes não queiramos ir à igreja e prefiramos ficar em casa assistindo ao futebol ou a um bom filme. O problema é que para alguns isso é pior que blasfemar contra o Espírito Santo, então devidimos fingir que estamos hiper felizes em estar no culto, mas na verdade nossa mente não está ali.

Que seus problemas tiram seu sono?
Aquele que não tem problemas que atire a primeira pedra! Até o mais espiritual dos pastores já perdeu noites de sono pensando em como resolver o problema que assola a si mesmo ou algum membro de sua igreja.
Acho uma covardia, para não dizer uma burrice, dizer a uma mãe que ela deve descansar, mesmo com seu filho atolado até o último fio de cabelo nas drogas, ou a um pai de família desempregado que ele deve confiar que Deus proverá o jantar para seus filhos. Claro que nosso cérebro humano não nos deixa desligar. Repito: cérebro HUMANO, portanto passível de medos e preocupações!

Que Deus nos ajude a deixar essa hipocrisia para traz, tirar as máscaras e assumirmos a nossa condição de pecadores remidos em processo de santificação.

Que Deus nos abençoe a sermos imitadores de Cristo, que não escondeu a sua angústia de ir à cruz, inclusive suando sangue e que encontremos amigos verdadeiros, que nos ajudem a tratarmos as mais difíceis questões de nossas almas.

Facebook: www.facebook.com/PregandoaVerdade
Twitter: www.twitter.com/pregandoverdade

Compartilhe com seus amigos Compartilhe com seus amigos

7 Loucuras de Thalles Roberto

7 Loucuras de Thalles Roberto

Pegando um gancho no texto  “7 loucuras do Lucinho”, resolvi  escrever um artigo sobre outro famoso “pastor” de jovens, o  polêmico  e vaidoso cantor Thalles Roberto.

Desde sua conversão em 2009, Thalles (que é filho de pastor) passou a se dedicar à música gospel e rapidamente conquistou o coração de milhões de evangélicos no Brasil, se tornando assim um fenômeno de vendas no crescente mercado gospel . Em pouco tempo foi ordenado pastor e se tornou uma das maiores referências para muitos de nossos jovens , passando a fazer parte do seleto grupo do “ungidos intocáveis”  do Brasil. Thalles sabe fazer dinheiro, passou a usar a expressão “Sou dos 3” e a colocou em muitos de seus produtos.  Ele tem sapatos, bíblia com seus comentários e até um energético próprios.

Vamos abordar alguns episódios da meteórica carreira desse rapaz, nascido em Passos/MG:

 

1) Músicas com conteúdo absurdamente anti-bíblicos

Claro que isso não é exclusividade do ex-integrante do J.Quest, mas é de se destacar que a maioria das suas músicas são de uma superficialidade bíblica gritante. Canções que exaltam o homem (mesmo que de maneira intrínseca) e principalmente rebaixam Deus a um ser com sentimentos humanos. Veja por exemplo o trecho de uma de suas músicas, chamada “Filho meu” onde o deus de Thalles se sente humilhado como se precisasse do homem para alguma coisa. Thalles não sabe mas nenhum dos planos do Senhor podem ser frustrados  e o verdadeiro  Deus  não leva porta na cara de ninguém, pois Ele é soberano e reina sobre tudo e sobre todos. É Ele quem abre e fecha as portas de acordo com Sua vontade.

Filho meu
Ta fugindo de mim, é?
Ja tentei, procurei e outra vez
Você me rejeitou, porta na cara doeu

Filho meu
Ta correndo de mim, é?
Ontem eu me lembrei
De uma antiga oração
Que você fez no monte
Lembra filho? Eu chorei!

Eu acho que paguei
Um preço alto demais
Eu tenho tantas coisas
Pra viver com você
Promessas e promessas
Arquivadas te esperando, filho!

Você ta dirigindo cego
Em alta velocidade
Daqui de cima eu vejo
A pancada que vem
Então passa sua vida pro meu
Nome que eu assumo tudo
Tudo, tudo, tudo

Faz o seguinte, oh
Levante a mão agora
E me aceita
Como o seu salvador
Depois me abraça
E a gente vence
Junto essa parada

Sou seu Deus
To cuidando de ti
To cuidando de tudo
Tudo, tudo, tudo

Só uma coisa a dizer: lamentável.

 

2) Eu sou dos 3! (?)

A controvérsia sobre a Trindade é algo combatido ao longo dos séculos em toda a Cristandade. Thalles, sem criar ou inovar coisa alguma, afirma pertencer aos 3 (Pai, Filho e Espírito Santo). O problema é que embora existam 3 pessoas distintas, Deus é um só. Quando falamos por aí que somos dos 3, isso redunda em uma confissão politeísta. Devemos refutar este conceito, pois Deus é um. Vejamos o que dizem dois credos, um do século IV e um do século V:

Creio em um só Deus, Pai todo-poderoso, Criador do céu e da terra, de todas as coisas, visíveis e invisíveis”.  (Credo Niceno)

Ora, a verdadeira fé cristã é esta: que honremos um só Deus na Trindade e a Trindade na unidade. (…) Sem confundir as Pessoas ou dividir a substância. (…)Contudo não são três eternos, mas um só Eterno. (…) Contudo não são três todo-poderosos, mas um só Todo-poderoso. (…) Pois, assim como pela verdade cristã somos obrigados a confessar cada pessoa em particular como sendo Deus e Senhor, assim somos proibidos pela fé cristã de falar de três Deuses ou Senhores”. (Credo Atanasiano)

Se parássemos nestes dois estaria ótimo. Mas após a Reforma, outras confissões de fé foram elaboradas, e todas elas fazem coro com estes dois antigos credos. A Confissão Belga (1561) relata que Deus é um ser único, mas que contém 3 pessoas na sua essência una. Embora:

“Esta distinção não significa que Deus está dividido em três. Pois a Sagrada Escritura nos ensina que cada um destes três, o Pai e o Filho e o Espírito Santo, tem sua própria existência, distinta por seus atributos, de tal maneira, porém, que estas três pessoas são um só Deus”.

Thalles está errado em enumerar as pessoas da Trindade desta forma, pois elas não se somam entre si. Embora haja Pai, Filho e Espírito Santo, a essência não é compartilhada. Como vimos nos credos e confissões. A essência de Deus é una e não pode se dividir. Nenhuma das Confissões acima utiliza-se do plural em referência a Deidade. Todas estão de acordo em manifestar a unidade de Deus. Todas confessam e adoram a um Deus único e verdadeiro. Referir-se a Deus no plural é ferir um de seus atributos, que é a Sua indivisibilidade, e assim cometer blasfêmia.

 

3)Comércio com foco no mercado gospel

Outra  prática comum (apesar que a maioria dos  artistas evangélicos que usam de popularidade e o nome de Jesus para angariar lucro vendemCD’s e camisas), Thalles tem uma gama diferente de produtos. Ele criou um boneco próprio, o Thalleco (risos). É isso mesmo, chega a ser engraçado mas na verdade é muita petulância o sujeito criar um boneco, como se ele fosse um super herói, passa a impressão que Thalles pensa que ele é “o cara” mesmo. E ainda tem sapatos e até mesmo um energético de sua propriedade (isso sem falar na Bíblia com comentários dele, essa parte é melhor pular). “É muita pressão” como ele mesmo gosta de dizer, é tipo um bordão que o identifica, prática comum no marketing.

Thalleco

 

4) Thalles manda o filho bater nos colegas de escola

É nítida a diferença entre a teoria e a prática, no início ele fala coisas espirituais (amar o próximo e orar com o filho) mas depois revela que esse negócio de  amor ao próximo e perdão passam bem longe. Primeiro ensina versículos bíblicos, depois diz para o filho não levar desaforo pra casa e revidar os colegas, e se chegar pro pai se queixando ainda apanha de novo.

Imagina a confusão na cabeça do garoto! Veja o vídeo.

 

5) É viciado em mastigar tampinhas de garrafa

O que será que passa na cabeça desse rapaz? Muitos dirão: “ah mas todo mundo tem suas manias”,  eu concordo, agora se o Thalles tem o hábito de roer tampinhas de garrafa Pet, qual a necessidade de contar isso? E o pior, ele faz questão de exibir essa mania em rede nacional, poderia estar falando tantas coisas mais úteis, mas prefere bancar o bobo da corte. Não duvidarei se ouvir “testemunho” de fãs que começaram a roer tampinhas também.

 

6)Salmos foi escrito pelo Apóstolo Paulo

Thalles gosta de postar pequenos vídeos nas redes sociais diariamente, quase sempre trazendo palavras de auto-ajuda e de confissão positiva aos fãs. Chavões como “Deus vai te dar a vitória”, “Receba uma palavra de benção hoje” ou “Jesus te ama e não desiste de você” são bem comum em suas mensagens. Podemos ver que o conhecimento bíblico dele é muito raso. E é aí que mora o problema: pessoas que tem multidões de seguidores, seus ensinamentos são tidos como verdade, a aparência de suas mensagens soa como algo vindo de Deus, mas na verdade são palavras oriundas de um evangelho modernizado, superficial e infantil. Deixo como exemplo o vídeo em que ele cita uma passagem do livro de Salmos e afirma que foi escrita por Paulo. Claro que isso é irrelevante perto do contexto geral, mas mostra os perigos de se colocar pessoas despreparadas para anunciar o nome de Jesus.

 

7) Thalles se julga acima da média e anuncia saída da música góspel

Quanta humildade! No dia da morte do cantor Cristiano Araújo, Thalles se sentiu na obrigação de se manifestar a respeito (mesmo não conhecendo Araújo pessoalmente) pois ele “tem mais de 3 milhões de seguidores nas redes sociais e não podia deixar de dar um palavra” (palavras dele). Depois, durante uma apresentação na Conferência Global 2015 realizada pela Comunidade das Nações, Thalles soltou uma pérola. O cantor tentava dizer que teve um novo chamado de Deus para deixar de se apresentar em igrejas e fazer mais eventos seculares. Mas a forma como ele descreveu esse “chamado” gerou muita revolta nos evangélicos que estavam no evento e as críticas feitas na página da igreja foram tantas que a denominação retirou a foto do artista de seu mural no Facebook.

Você está acima da média porque você está no meio de gente fraca”, disse o cantor como se fosse Deus quem estivesse dizendo para ele. “Quero ver você estar acima da média lá fora”, teria dito o Senhor dando nomes de cantores como Ben Harper e Usher.

Outra frase dita pelo cantor era que cantar no meio gospel “era bater em bêbado”, que “música gospel é tudo igual” e que “qualquer um escreve e faz”. Thalles contou uma história de que um pastor teria comparado a música com a Palavra dizendo que você consegue se lembrar muito mais das canções que ouve do que as pregações.

Thalles acredita que cantar é melhor que pregar e por isso ele vai sair das portas da igreja para cantar em eventos seculares. “Se eu não puder ser tudo o que Deus mandou eu ser que propósito é esse?”, disse.

O cantor afirmou que Deus disse que ele já fez no meio gospel tudo o que ele tinha para fazer e que só ele, Thalles, faz [música] do jeito que ele faz. Para respeitar esse chamado, o cantor se prepara para lançar um CD que não tem os evangélicos como público alvo.

Na página da Comunidade das Nações os fiéis diziam que estavam envergonhados por ouvir tanta bobagem de um artista gospel. Alguns disseram que se sentiram humilhados como cristãos e principalmente como igreja. Como dissemos acima, a igreja retirou a foto do ar e as críticas desapareceram.

 

O objetivo desse artigo não é denegrir a imagem de Thalles Roberto (isso ele mesmo se encarrega de fazer), nem afrontar seus seguidores, mas precisamos ser claros e verdadeiros com a palavra de Deus, o Evangelho não é brincadeira e nem comércio. É preciso buscar discernimento através do estudo das escrituras para que a mentira com aparência de verdade pare de ganhar espaço em nosso meio. Oremos para que Thalles e aqueles que o tem com pastor, tenham seu entendimento iluminado pelo Espírito Santo e que cheguem ao conhecimento da verdade, do Evangelho genuíno de nosso Senhor Jesus. Amém?

Deus nos abençoe!

Em Cristo;

Renato Santiago.

 

Compartilhe com seus amigos Compartilhe com seus amigos

7 loucuras do Lucinho

7 loucuras do Lucinho

Por Thiago Schadeck

Lucio Barreto Jr. é “pastor de jovens” da Igreja Batista da Lagoinha e ganhou notoriedade nacional e até em outros países por conta de seu estilo – apesar de ter passado dos 40 anos, se veste, age  e fala como um adolescente – e pelas “loucuras por Jesus”. Ele ministra o “Seminário Loucos por Jesus” Brasil a fora e ensina aos jovens como ser um crente radical. Desde que ganhou notoriedade, Lucinho marcou sua caminhada com polêmicas. Ele também escreve livros para jovens e tem uma grife que produz as roupas que ele veste e que abarrotam os guarda-roupas de seus seguidores.

 

1- Cheirar a Bíblia para atrair os jovens:

image

Essa foto deu a projeção nacional que Lucinho queria. Até ter a brilhante idéia de tirar uma foto cheirando a Bíblia, como se fosse uma carreira de cocaína, Lucinho era apenas um ilustre desconhecido da Lagoinha.
Na época a repercussão dessa foto gerou debates acalorados entre os crentes, de um lado os “loucos por Jesus” que se defendiam com o argumento de que isso teria feito muitos jovens voltarem à igreja, mas nunca conseguiram me apresentar nenhum.
A Bíblia é enfática em afirmar que devemos ser diferentes do mundo, em diversas passagens, Jesus e os apóstolos mostram que o caminho percorrido pelos ímpios os levará à perdição. Paulo diz aos Romanos que eles não devem se amoldar ao padrão desse mundo (Rm 12:2), aos tessalonicenses ele diz que deveriam fugir da aparência do mal (1 Ts 5:22).
Esse gesto do Lucinho só mostra que ele quer usar o mundo para tirar os jovens do mundo.

2- Manda os policiais matarem os bandidos:

Ele usa a referência de Paulo aos Romanos como “licença para matar”,  mas não se atenta a um detalhe: o texto não diz para as autoridades sairem matando a bandidagem ao seu bel prazer, mas que eles são investidos de autoridade para manter a ordem.
Claro que o policial pode, eventualmente, acabar matando um bandido em uma troca de tiros ou em legítima defesa, mas isso não lhe dá, em momento algum, o direito de descarregar a arma em cima de ninguém, como o Lucinho defende.
Isso é apologia à violência. O policial, principalmente o cristão, deve se lembrar sempre de que o trabalho dele é proteger a população e não o de fazer justiça com as próprias mãos.
Como o Lucinho disse, ninguém vai pedir por favor que os traficantes larguem a vida do crime, mas por outro lado, Jesus nos ordenou a pregar o evangelho essas pessoas. Lembre-se do ladrão da cruz, ele está com Cristo no paraíso. Jesus não jogou na cara de que ele era bandido e realmente precisava morrer, mas lhe assegurou a vida eterna.

3- As esposas de Caim e Abel

Seja por ignorancia ou para defender sua visão, estranhamente, o Lucinho não citou a possibilidade mais aceita pelos teólogos, que Caim e Abel se casaram com suas irmãs. Simples assim. A Bíblia relata a criação apenas  de Adão e Eva e mais ninguém. Todos os que vieram depois deles, foram gerados através da gravidez decorrente do sexo, como é hoje. Importante ressaltar que nessa época Deus permitia o casamento entre irmãos por um motivo óbvio: era necessário povoar a terra e só havia uma família sobre ela.
Se Deus tivesse interesse em fazer mais algum ser do pó da terra, certamente o teria feito após a queda de Adão e Eva e manteria sua criação pura e próxima de si.

4- Autopredestinação

Esse medo de responder que não sabe responder sobre algum assunto tem matado muitos líderes. O Lucinho poderia ter dito que não sabia responder ou não ter selecionado essa pergunta para ir ao ar, mas sua presunção, maior que seu topete, não deixa. Nem entro aqui no mérito de ser calvinista ou arminiano, pois há séculos já existe essa discussão entre predestinação e livre arbítrio e não acabará tão cedo. Se é que acabará um dia!
O que pesa aqui é uma resposta sem pé e nem cabeça, em que o Lucinho lê UM versículo, sai divagando num raciocínio confuso e conclui com o seu achismo de costume. Dizer que a pessoa se auto-predestina é a mesma coisa que afirmar que Deus não poderia fazer nada para que ela não fosse para o inferno, porque essa é a escolha dela. O Deus Todo-Poderoso deixou de governar para ver o que as pessoas decidem por Ele.
A nossa natureza caída e corrompida sempre irá tender para o que é mal, para o pecado e se Cristo não nos atrair ao Pai para que o Espírito Santo nos regenere, de forma alguma a nossa situação mudará.

5- MMA e lutas violentas

Só pra variar, o Lucinho lê um texto bíblico para respaudar sua resposta, mas o abandona para colocar seus achismos no lugar das escrituras. Faltou o Lucinho falar que aqueles que lutavam nas arenas, o faziam por uma coroa corruptível e Paulo nos orienta a lutar pela coroa eterna, mas em vez disso prefere aconselhar a bater mesmo pra não perder o “respeito no esporte”. Para coroar as comparações esdrúxulas, ele ainda diz queo futebol é um esporte violento, o que prova que ele também não sabe nada sobre o esporte mais popular do país. Futebol tem regras e qualquer violência é punida, para isso tem o árbitro e os cartões amarelo e vermelho. O futebol é um esporte de contato, com trombadas, disputas firmes, brigas por espaço, mas disso para violento tem um abismo maior que as bobagens que esse rapaz diz.
Em tempo, não sou contra cristãos praticarem artes marciais como exercício físico, mas isso não é alibe para sair baixando a pancada em todo mundo “em nome do esporte”. Eventualmente pode sobrar um soco ou chute errado, mas machucar o oponente não deve ser a regra, pelo menos para os cristãos.

6-Chamou as pessoas de lixo, defendendo o Thalles

Quando surgiu a polêmica com o Thalles (Veja aqui) e o mundo caiu sobre o rapaz da “pressão”, o “homem dos 3”, Lucinho, que é muito amigo de Thalleco, decidiu tomar as dores e defendê-lo. Se disse assustado de como as pessoas estavam criticando o Thalles pelas suas declarações e diz que Jesus soltou o tubarão (Thalles) no aquário para provar os peixes, que traduzindo, ele quis dizer que o Thalles falou aquele monte de besteiras usando toda a sua arrogância para Deus provar o nosso coração e que ele está certo.
Logo em seguida ele solta a pérola: “se você vai pra internet e mete o pau no cara, que tipo de cristianismo é esse que você vive, SEU LIXO? Pois é, o homem do “não critico, só elogio” chama os que denunciaram a soberba de lixo, mas não repreendeu seu amigo que se disse acima de tudo e de todos. Evangelho de conveniência!

7- Preso por tumultuar a festa do Preto Velho

E para encerrar com “chave de tolo” a história que ele conta às gargalhadas, mas que na verdade deveria ter lhe dado cadeia por intolerância religiosa, depredação de patrimônio e perturbação. Temos de entender de uma vez por todas que o Brasil é um país laico – brigamos tanto por isso para colocar a bíblia nas escolas- e portanto cada um adora o deus que quiser. Se temos direito de fazer a Marcha para Jesus, os camdomblecistas tem direito de fazer a festa do Preto Velho. Direitos são direitos.
Lucinho diz que juntou um monte de adolescentes “perturbados” para ir com ele fazer evangelismo, mas a certa altura da festa eles foram descobertos e os adolescentes fugiram, menos um, o Diogo, que ficou parado ao lado dele. Quando o Lucinho percebeu, virou para o garoto e disse: “sai daqui desgraça”, a linguagem pouco educada também é uma marca do referido pastor. A polícia chegou e eles foram presos, mas o garoto não se continha de felicidade e o Lucinho solta mais uma pérola: “sua mula, agora sua mãe me mata”, carinhoso, não?! O garoto estava todo feliz porque tinha sido preso “por causa de Jesus”, fico imaginando os apóstolos de Cristo vendo essa sandice, certamente ensinariam a eles que ser preso por amor a Cristo era muito mais que isso. Eles eram presos por PREGAR O EVANGELHO e não por fazerem arruaça nas festas dos ídolos pagãos.
O desfecho da prisão é pior que a história em si, a viatura encostou e o policial, que também era crente, mandou eles voltarem a ‘evangelizar’ na festa. Por essas e outras que nem policiais e nem crentes são bem vistos no Brasil mais. Se o policial foi chamado para resolver um problema, o mínimo que se espera dele é que cumpra a lei, independente de qualquer outra circunstância. Depois que eles voltaram e a festa acabou, começaram a dança da vitória, rodeando a imagem e imitando índios, como um monte de crianças imbecilizadas.
O pior de tudo vem no encerramento do “testemunho”, quando o Lucinho diz, gargalhando, que um adolescente veio correndo com um pedaço de ferro na mão e deu a ele dizendo ser uma lembrança por aquele dia, era o cachimbo do Preto Velho. Parece que o Lucinho achou isso bonito, comtou com alegria e orgulho.
Esse mesmo povo que vibra com histórias como essa se indigna quando vêem pessoas queimando bíblias, transexuais simbolizando Cristo na Parada Gay, igrejas sendo atacadas e outras coisas. Se inventiva a intolerância, aguente os intolerantes.
O Lucinho não poderia encerrar uma história grotesca como essa sem soltar uma frase do mesmo nível: “se não tem loucura na sua vida, é porque está faltando o Espírito Santo controlar”. Estranhamente não vejo nem Jesus e nem os apóstolos fazendo essas bizarrices nos relatos bíblicos.

Que Deus conceda graça e que o Lucinho desperte dessas loucuras e use toda sua influência para levar os jovens a Cristo e não a experiências de crianças mimadas e idiotilizadas. Ele já passou da idade de fazer essas coisas.
Que os jovens sejam despertados pelo Evangelho puro e simples de Cristo!

Em tempo, antes de vir com o “não julgueis”, “o que você está fazendo pelo reino?”,”quantas pessoas você já ganhou pra Jesus?”, “pelo menos ele está pregando o evangelho” e coisas desse tipo, que ouço toda hora, te convido a refletir se o que esse camarada tem ensinado  (registrado nos vídeos acima) está de acordo com a Bíblia. Se não estiver, não está ganhando almas, nem está fazendo nada pelo reino, não ganha almas e tampouco é evangelho.

Facebook: www.facebook.com/PregandoaVerdade
Twitter: www.twitter.com/pregandoverdade

Compartilhe com seus amigos Compartilhe com seus amigos

Os perigos do movimento “Eu Escolhi Esperar”

Os perigos do movimento “Eu Escolhi Esperar”

image

Por Thiago Schadeck

Não questiono a legitimidade desses movimentos ao estilo “Eu Escolhi Esperar” e creio que há muitas coisas boas ensinadas por eles. O mundo em que vivemos está cada vez mais perverso, em todos os sentidos, e os relacionamentos menos comprometidos. Na igreja, inclusive, os jovens tem tido relacionamentos superficiais, ficam com todo mundo, fazem sexo sem compromisso e isso tem de ser mudado, através do ensino sério das escrituras no discipulado.
Muitos jovens que hoje frequentam uma igreja não nasceram em berço cristão, isso significa que cresceram sob os padrões do mundo e não de Cristo. Alguns deles já provaram de tudo, seja bom ou ruim, que o mundo tem a oferecer e não é nada fácil mudar isso. Para conseguir controlar esses maus hábitos,  por anos, as igrejas usaram uma tática medieval: proibiram que dizessem qualquer coisa fora do que a igreja dissesse ser certo. Isso colocou o enorme peso do legalismo nas costas de jovens que mal sabiam quem era Cristo e que estavam começando a compreender a graça de Deus. Com o passar do tempo as igrejas foram afrouxando essa corda para segurar os jovens. Afrouxou a tal ponto que chegamos na situação deplorável que temos hoje.
Nos últimos anos, com a popularização das redes sociais, principalmente o Twitter, surgiram os movimentos de “pureza sexual” como o Eu Escolhi Esperar e a Sarah Sheeva, que são os seus maiores exponentes. Eles ensinam que um cristão não pode sair beijando e transando com todo mundo, que deve se guardar para a pessoas certa, para o casamento e isso realmente é o ideal. O namoro deve ser algo sério, deve ser encarado como um primeiro estágio para o casamento, por isso eu acredito que adolescentes não deveriam namorar.
O problema começa quando colocam regras pesadas sob esses jovens, tais como:

Casais que se casam sendo completos estranhos entre si:
Por tamanho legalismo, os casais chegam ao altar sem se conhecer de fato. Não creio que o sexo antes do casamento seja aprovado por Deus, porém a total aversão a qualquer contato físico também produz males inimagináveis a esse casal. Muitos casais que seguem as diretrizes do EEE ficam perdidos na noite de núpcias, isso porque passaram um longo período ouvindo o que podia ou não fazer e agora que podem desfrutar do sexo ficam com medo de pecar e jogar o tempo de aprendizado nos seminários fora.

Casamentos que não são desfrutados como deveriam:
É mais comum que imaginamos encontramos casais que depois de anos ainda não conseguiram desfrutar totalmente do casamento. Esse problema começa antes do namoro, nas orientações de como deve ser o seu futuro relacionamento. Mulher não pode tomar atitude, homem tem que pagar a conta, não pode ter beijo na boca, só saiam juntos se levar os conselheiros com vocês, não pegue na mão se estiverem sozinhos, aliás não fiquem sozinhos!
O resultado disso é uma alienação e infantilização de nossos jovens, visto que não são obrigados a agir por si ou a ter atitudes de quem busca um relacionamento duradouro, mas apenas de quem obedece o que outras pessoas, por mais espirituais que sejam, ditam para as suas vidas. Quando falta esse “apoio” o casal fica sem rumo e, não raro, se separam.

Jovens sendo assexuados:
Na puberdade os desejos se afloram muito e isso é normal. A igreja deve ensinar que os jovens se controlem e não que se anulem. Ter desejos é mormal, o que não podemos é sucumbir a eles. Claro que se alguém decide namorar é porque algo físico o atrai na outra pessoa. Namoramos com quem se enquadra aos nossos padrões de beleza.
Lembro que uma vez conversando com um jovem, ferrenho defensor desse movimento, que estava enfrentando problemas em manter o namoro saudável.  Ele me disse: “irmão, ore por mim! Sinto muito desejo pela minha namorada e não sei o que fazer”. Eu lhe dei uma resposta simples: agradeça a Deus por ter esse desejo, imagine que pesado seria casar com alguém que você teria que se relacionar sem vontade?
Depois de um tempo de conversa orientei que ele tomasse cuidado para que esse desejo não ultrapassasse o limite do namoro que agrada a Deus e ele entendeu.

Resumir o evangelho a uma cartilha de namoro/casamento:
Basta acompanhar as postagens dos que defendem esses movimentos, são basicamente mensagens sobre vida conjugal, o que não é um mal em si, mas se o evangelho pregado girar apenas em torno desse tema, logo as pessoas conhecem um deus casamenteiro, uma espécie de Santo Antônio gospel. Jovens tem se perdido por não conhecer o verdadeiro Cristo, o que tem em si toda a plenitude de Deus (Colossenses 2:9), a mensagem do evangelho vai muito além de “namorar a pessoa certa”, ela nos ensina a sermos a pessoa certa em todas as áreas de nossas vidas.

Falsa expectativa do casamento perfeito:
O casamento é uma bênção de Deus, ele é tão importante que é o símbolo da união entre Cristo e a Igreja. Esse sim será o casamento perfeito. No nosso casamento terreno, nem tudo será flores, por vezes teremos desentendimentos e talvez até discussões mais ásperas. Negligenciar esse fato é colocar uma enorme armadilha no caminho daqueles a quem aconselhamos.
Milhares de jovens se casam com a expectativa de viver um conto de fadas, afinal são príncipes e princesas do Senhor, mas quando passam a viver sob o mesmo teto também começam a surgir os problemas. Eles não estão preparados para enfrentá-los e logo vem a frustração de não ter aquele sonho tão lindo antes do casamento agora vira um pesadelo.

Criar santidade de aparência:
Como dizia aquela comunidade do Orkut, tudo o que é proibido é mais gostoso”. Para a igreja eles são super santos e tementes a Deus, mal por vezes saem do culto direto para o motel. Isso porque são ensinados a se reprimir e na prática isso não é tão simples. Como nada fica em oculto para sempre, quando são descobertos o estrago é enorme.

Bom, existem outros problemas que decidi não colocar em pauta aqui, mas que podem vir em uma segunda parte.

Antes de me xingar ou amaldiçoar o texto, quero que você responda algumas questões:

  • Você sabe explicar sobre a Graça de Deus, citando versículos, a alguém que ainda não a tenha provado?

  • Alguma vez, nesses congressos de santificação você ouviu que Jesus pode voltar e você não ter se casado?

  • Alguma vez foram abordados, nesses congressos, outros pecados que não sejam sexuais ou coisas do tipo?

Se a sua resposta foi não para essas perguntas simples, te aconselho a rever o que tem crido e passar a olhar para Cristo como seu Senhor e não como um meio de encontrar a pessoa certa para se casar.

Deus te abençoe

Facebook: www.facebook.com/PregandoaVerdade
Twitter: www.twitter.com/pregandoverdade

Compartilhe com seus amigos Compartilhe com seus amigos

A igreja exploradora!

A igreja exploradora!

image

Por Thiago Schadeck

Esse texto é um compilado de histórias que ouvi e presenciei durante minha vida, e em alguns trechos a minha própria história. Não vou identificar quando estiver falando de mim para não expor a igreja e nem as pessoas envolvidas.

A cada dia são abertas centenas ou talvez milhares de igrejas no Brasil. Nem sempre sob a direção do Espírito Santo e nem com a pessoa certa à frente, o que pode ser uma enorme tragédia anunciada. Um pastor despreparado é o maior mal que pode acontecer a uma comunidade de fé. Se o líder não é apto a fazer o básico necessário imagine quando se deparar com problemas mais sérios?
Em toda a minha caminhada no evangelho já ouvi e fui testemunha de muitas situações em que a igreja sugou seu pastor ou seus membros e que poucos conseguiram superar o mal que se abateu sobre eles.

Igrejas com pastores “soberanos”, onde eles que decidem tudo na vida dos membros: onde trabalhar, com quem namorar e casar, quando ter filhos, se e para onde viajar e etc. Nessas igrejas, tudo o que o líder (normalmente apóstolo) diz é lei. Ninguém ousa questionar o “boca de Deus” para a igreja. Os crentes dessas igrejas não sabem pensar e tem medo de agir por si próprios, porque imaginam que se assim fizerem, Deus não estará com eles. Lamentavelmente esse tipo de igreja e relação líder-membro cresce a cada dia e de forma inacreditável.
Existem também aquelas igrejas que tem verdadeira ganância por crescimento, para esses líderes o que importa é a igreja lotada, custe o que custar. Os membros são constrangidos a trazer pessoas para a igreja (não que isso seja ruim, mas deve ser natural, Incentivado e não obrigado), quem não participa de todos os trabalhos e não vai a todos os cultos é visto como um crente frio, que não se envolve nos projetos que são sonhos de Deus para a igreja. São obrigados a colaborar financeiramente com qualquer projeto novo e muitas vezes não tem a mínima satisfação de onde o dinheiro foi investido.
Nessa mesma linha, tem as igrejas exploradoras, que exigem de seus membros e obreiros que dêem a sua vida toda à denominação. Estudar? Não precisa, Deus é quem vai abrir as portas pra você. Trabalhar? O mínimo possível, foi Deus quem te colocou lá e você tem que honrar isso indo à igreja todos os dias. Lembre-se que se falhar nessa honra, Deus tira seu emprego para você aprender. Cuidar da família? Esqueça isso, a não ser que você ame mais a sua familia que a Deus, mas nesse caso prepare-se para passar por muitas dificuldades em casa, foi uma escolha sua! Seu casamento é fruto da união de Deus e seus filhos herança do Senhor, eles não precisam tanto de você quanto a igreja.
Por causa dessas sandices, quando precisamos de bons médicos, advogados, engenheiros para a igreja, temos de buscar fora. Por isso também temos tantos “cultos de prosperidade”, estão ensinando a vagabundagem aos seus membros – trabalhe pouco e ganhe muito com Deus. Famílias estão sendo destruídas porque os pais ficam enfiados na igreja e não percebem seus filhos indo a passos largos para o mundo das drogas e do crime, o divórcio entre crentes cresce a cada dia, chegando aos mesmos níveis dos não crentes.
Um pastor na rádio, um dia desses, disse que em sua igreja só tem duas exigências para participar da ceia: ser batizado e estar com os dízimos em dia. Antes de entrar no templo, o membro tem que constrar em uma lista de “permissão” para cear, caso contrário é constrangido a ficar do lado de fora e não pode nem assistir o culto. Visitantes são proibidos nesse dia. Nas entrelinhas, a mensagem é: se não quer passar vergonha na ceia, seja dizimista. É uma forma de manter o caixa da igreja em um bom nível, não importa o que a Bíblia diz.

São várias situações vistas, ouvidas e vividas, em quase 30 anos de evangelho tenho visto e vivido de tudo. Coisas boas e ruins. Isso só me dá mais força e vontade de lutar por uma igreja sadia e que liberta ao invés de aprisionar. Não podemos colocar julgo naqueles que Cristo já garantiu a liberdade. Não temos o direito de interferir na vida de ninguém, nosso papel é orientar biblicamente, imitando a Cristo e orar para que o Espírito Santo faça a transformação necessária na vida dessas pessoas.

Sei que há diversas outras situações que não foram expostas aqui. Se você quiser conversar, desabafar, contar a sua história, deixe um comentário (não aprovo e ninguém vê) ou mande um e-mail para schadeck03@hotmail.com

Deus te abençoe

Facebook: www.facebook.com/PregandoaVerdade
Twitter: www.twitter.com/pregandoverdade

Compartilhe com seus amigos Compartilhe com seus amigos