Mês: agosto 2014

Procura-se Pastores com dom de cura!

Procura-se Pastores com dom de cura!

 

Cura

 

Por Thiago Schadeck

A paz do Senhor!

Tenho visto um grande crescimento das “reuniões de fé e milagres” com promessas de que todos aqueles que comparecerem serão curados.
Pra não dizer que estou exagerando, click aqui e confira quantos banners convidando as pessoas a serem curadas e libertas circulam pela internet.

Tendo em vista que há tantos pastores com dom de cura e que fazem milagres de deixar qualquer um boquiaberto, como cura de AIDS, paralíticos andando, doentes terminais sendo curados apenas pela oração na peça de roupa entre outras coisas, decidi fazer uma campanha: “Esvaziando os leitos do SUS”.
Se esses pastores conseguem tais façanhas dentro de seus templos, acredito que podem fazer prodígios idênticos dentro dos hospitais. Ou será que o “deus” (minusculo mesmo) deles só funciona dentro das quatro paredes de suas igrejas?

Será que esse “deus” só abençoa quem pode colaborar com a manutenção das suas igrejas? Só aqueles que podem colaborar para que o programa de rádio e TV não saiam do ar? Toda e qualquer bênção está atrelada à contribuição financeira e os testemunhos são sempre antes e depois dessa igreja. 

Homens que dizem não querer roubar a glória de Deus, mas nas faixadas de suas igrejas tem fotos enormes deles, com a promessa de que esse “homem de Deus” vai orar por você e te abençoar. Mandam você vir receber a imposição de mãos dele, porque é através da vida dele que você alcançará sua bênção. Se colocam como intermediários entre o povo sofredor e Deus. São as “Virgens Marias Gospel”. Se o infeliz do fiel não for curado é porque não teve fé, mas em seus convites ouvimos constantemente: “venha pela minha fé, você vai ser curado através da minha fé!”

Na verdade são charlatões que querem apenas estar em evidência e com isso enriquecer (veja a mudança do saldo bancário desses camaradas), ter poder sobre suas ovelhas e, se conseguir, eleger políticos para se tornarem despachantes de suas igrejas, facilitando alvarás, licenças e verbas.

Quero deixar bem claro que creio sim em cura divina. Creio com todas as minhas forças que Deus pode ressuscitar um morto, curar um aidético e fazer câncer desaparecer, mas antes disso creio que Deus age quando, como e onde quer. Creio que Deus não “obedece” agenda de igreja e nem cumpre ordem de ninguém. Sendo assim, é impossível alguém determinar a Deus o que Ele deve fazer, porque o Espírito sopra onde quer (João 3:8) e que Deus não se restringe a lugares (João 4:23-24) e principalmente, não recebe instruções de homens (1 coríntios 2:16). 

Não vejo, em qualquer parte das Escrituras, Jesus ou o próprio Deus marcando horário para curar o povo. Antes, vejo Cristo indo até onde tinham os necessitados e os curando, sem pedir nada em troca – nem gratidão, conforme a passagem dos 10 leprosos (Lucas 17:12-19). E muito diferente desses pastores/ apóstolos/ bispos/ missionários/ semi-deuses fazem, Jesus não mandou que ninguém fizesse propaganda dele. Algumas vezes mandava que se mostrasse ao sacerdote, como no caso dos dez leprosos, em outros, que o curado fosse se mostrar a família (testemunho pessoal) e a outros, simplesmente ordenou que não contasse a ninguém como na cura de um leproso (Mateus 8:4; Marcos 1:44; Lucas 5:14), várias curas entre aqueles que O seguiam (Mateus 12:16), a cura de dois cegos (Mateus 9:30), a ressurreição da filha de Jairo (Marcos 5:43; Lucas 8:56), a cura de um surdo e gago (Marcos 7:36); e a cura de um cego em Betsaida (Marcosc 8:26).

Então, meu querido pastor com dom de cura, lanço a vocês um desafio: Vá a um hospital lotado do SUS e cure aqueles que estão ali sofrendo. Tem dúvida de que é isso que Jesus Cristo faria? Leia a Bíblia e verá o quão errado tem se comportado!

Que Deus nos abençoe e que esse país receba um avivamento genuíno. Se tiver interesse, escrevi um post dizendo que creio num avivamento e você pode conferir aqui.

Fique a vontade para comentar, e você pode SIM DISCORDAR de mim, mas por favor, use a Bíblia para embasar suas idéias.

 

Compartilhe com seus amigos Compartilhe com seus amigos

Que Evangelho é esse?

Que Evangelho é esse?

Cruz

Por Thiago Schadeck

Que Evangelho é esse que tem desprezado a salvação e exaltado os bens dessa terra, que valoriza o ter ao ser, que vocifera que se alguém é pobre ou doente está em maldição, mesmo sabendo que Cristo se fez maldito em nosso lugar (Gálatas 3:13). Para os adeptos desse “novo” Evangelho, a Cruz de Cristo é apenas mais um acessório mistico, que se bem usado é um amuleto potente, tal e qual os lenços, as canetas ungidas, os copos d’água em cima do rádio/TV para receber a oração do “homem de Deus”. 

Que evangelho é esse que faz dos cantores grandes artistas e paga altíssimos cachês travestidos de ofertas. Se não cumprir as exigências, que não são poucas, desses astros, eles simplesmente não aparecem. Que igrejas são essas que enforcam seus orçamentos e esfolam seus membros para trazer um mercenário desses se dizendo adorador. Que Evangelho é esse que cobra entrada para as pessoas entrarem na igreja e adorar a Deus com o “levita” famoso e os fãs além de pagar, esperam por horas para garantir uma foto e um autógrafo.

Que Evangelho é esse que pastores usam de poder para calar a boca dos membros, que lançam mão do “não toqueis nos meus ungidos” a cada vez que é questionado. Pastores esses que não tem qualquer abertura para o diálogo e comunhão com seus membros pelo simples fato de ter medo de perceberem que ele é uma pessoa normal que acerta e erra e vez por outra peca. Pastores que usam a Bíblia para manipular a vida das ovelhas e tê-las sempre debaixo de seu cajado – no pior sentido possível. Deixo claro que devemos honrar e respeitar nossos pastores, mas antes devemos avaliar se ele é digno de ser imitado, seguindo a orientação de Hebreus 13:7 e 17.

Que Evangelho é esse que vive à margem da sociedade e não faz qualquer diferença na vida daqueles que nos cercam. Que os “evangélicos” se igualam aos “do mundo” e cometem toda espécie de barbárie que os que não entregaram a vida a Cristo. Mentem, roubam, puxam tapetes, brigam, caluniam, traem e tudo mais que não presta, para tirar vantagem e dizer que Deus o abençoou. Na verdade o Diabo que tem lhe guiado! Os verdadeiros filhos de Deus estão sendo regenerados e a cada dia lutam para ser novas criaturas (2 Coríntios 5:17). O sal que não tempera não faz diferença e só serve pra ser pisado pelos homens (Marcos 9:50)

Que Evangelho é esse que precisa de atrativos para alcançar as pessoas, então utiliza-se de baladas, festas juninas, MMA, feijoadas com pagode e tudo mais que o mundo puder oferecer à Igreja e não o contrário. A vantagem é que fazemos tudo isso e colocamos o sobrenome de “Gospel”, assim ficamos isentos às críticas. Para atrair os jovens agimos como verdadeiros retardados, tiramos foto cheirando a Bíblia como se fosse cocaína e alegamos ser “loucos por Jesus”, mas na prática não cometemos a “loucura” de pregar de graça e sem anúncios. Nos vestimos como “emos” para não aparentarmos a idade e alcançar os jovens que não querem compromisso com Igreja. Falamos em gírias como se toda a Igreja fosse capaz de compreender – a contextualização é válida, desde que não ofenda ninguém, inclusive Cristo – porque não posso parecer um “mané”, pois os jovens não querem ser quadrados como os crentes.

Que Evangelho é esse que atrela o agir de Deus com contribuições financeiras, onde quanto mais você semeia no MEU ministério, mais Deus te dá. Que coloca Deus como um empregado louco por uma gorjeta. Um Evangelho que o dízimo perdoa pecados e amarra demônios, tomando o lugar do sangue de Jesus. Chegam a sandice de dizer que o único demônio que não pode ser repreendido pelo nome de Jesus é o devorador, porque esse só sai mediante o pagamento – exatamente, PAGAMENTO – do dízimo. 

Que Evangelho é esse que traz as pessoas à Igreja porque lá tem um “homem ou mulher de Deus” que revela até o RG, que derruba pessoas com sopro ou paletó, que cura apenas com um toque, que faz cirurgia espiritual. Pastores que em uma hora do que deveria ser uma pregação lê, quando lê, um versículo e no restante do tempo fala de como Deus o usa, como tem poder para detectar, amarrar, entrevistar e expulsar demônios. O nome do diabo é doce na boca desses “pregadores”. Ao invés de anunciarem a grandeza do nosso Deus, preferem falar da força que o Diabo tem sobre a vida daqueles que ainda não receberam sua oração forte.

Que Evangelho é esse que constrói mega-templos, “cidades”, templo de Salomão pelo simples luxo de dizer que é o maior templo do Brasil e quiçá do Mundo. Templos que custam uma verdadeira fortuna para serem construídos e fortunas não tão menores para manutenção da estrutura que não serve aos membros. Se quiser construir esses templos faraônicos, que tenha espaço para alfabetização, cursos profissionalizantes como informática e inglês. Não, o lugar é santo e não podemos misturar o santo com o profano.

Esse, certamente, é o outro Evangelho que Paulo alertou ao povo de Gálatas, que se desviou rapidamente do que o Apostolo dos Gentios havia penado para lhes ensinar. O nosso coração é como o do povo da Galácia, que tende sempre a procurar o nosso bem estar e ajustar a Bíblia aos nossos desejos mais espúrios e termos a consciência “tranquila”.

Que Deus nos abençoe e nos dê forças para lutarmos pela Igreja e pelo Evangelho de Cristo. E para resumir, fico com a definição que o Apostolo Paulo deu ao Evangelho em I Coríntios 1:16

Não me envergonho do Evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê: primeiro do judeu, depois do grego.

 

Compartilhe com seus amigos Compartilhe com seus amigos