Mês: dezembro 2013

Palavra Apostólica e Profética de Ano Novo

Palavra Apostólica e Profética de Ano Novo

Estevão

A paz do Senhor!

* Esse texto deveria ter valido apenas para o ano de 2014, mas as coisas continuam tão iguais que vou reutilizá-lo!

Tal e qual as igrejas neopentecostais e simpatizantes, resolvemos atrelar um personagem bíblico ao próximo ano. A idéia surgiu de um post do Ruy Cavalcante no Facebook, portanto, todo o crédito é dele.

A bíblia relata a história de Estevão entre Atos 6:8 e Atos 8:2 e se você costuma ler a Palavra do Senhor já deve ter ouvido falar sobre ele.
Estevão foi um dos diáconos escolhidos pelos apóstolos para ajudá-los a administrar os trabalhos da igreja primitiva. Já em Atos 6:8 diz que Estevão era cheio de fé e poder, e que fazia prodígios entre o povo. Ele foi um dos homens que fizeram a diferença em sua época, pois os milagres aconteciam mediante pregação da Palavra e oração.

Estevão foi um homem a quem Deus deu muita sabedoria e o Espírito Santo o usava para pregar. Isto passou a ser um problema para ele, afinal isso despertou a inveja dos religiosos de sua época. Por Estevão pregar a verdade e ser usado pelo Senhor os religiosos não podiam resisti-lo ou desmascará-lo então tiveram a ideia de matá-lo. Nada diferente do que fazem hoje. Se nos atrevemos a mostrar que um religioso manipulador está pregando coisas que estão contra o que a Bíblia ensina, seus seguidores rapidamente nos cercam com as pedras nas mãos, esperando a ordem para nos intimidar e tentar calar a nossa voz.

Os religiosos moveram o povo e usaram de falsas testemunhas para provar que Estevão estava blasfemando. Exatamente como em nossos dias, os líderes manipulavam o povo a defendê-los e não a defender a Bíblia. Experimente escrever corrigindo alguma heresia dos líderes modernos e prepare-se para receber comentários do tipo: “quem você pensa que é pra falar assim do meu líder?”, “Seu endemoninhado, pare de julgar e vai ganhar almas, como o meu líder”, “Por que você não mostra seus frutos em vez de julgar esse homem de Deus?”.

No capítulo 7 de Atos, Estevão dá uma aula de Antigo Testamento e consequentemente da história dos Hebreus, que aqueles religiosos deveriam saber de cor e salteado. Em vez de eles se agradarem por ouvir a pregação da verdade vinda de um homem cheio do Espírito Santo e que estava pregando o reino de Deus, eles ficaram furiosos por verem em Estevão um perigo, visto que certamente ele tomaria o lugar daqueles líderes no respeito dado pelo povo àqueles homens.

No capitulo 7, versículo 48 ele disse a frase que foi a gota d’água para aqueles religiosos: “O altíssimo não habita em templos feitos por mãos humanos”. Assim como hoje, o templo era idolatrado e acreditavam que ali era o lugar de adorar a Deus. Impressionante como em quase dois mil anos nada mudou! Estevão cometeu o mais grave pecado, aos olhos dos religiosos, dizer que Deus era onipresente e que não é no templo ou no monte que devemos adorá-lo, mas em todo o tempo com a nossa vida. Sem reservas.

Quanto mais Estevão mostrava a verdade, mais o ódio dos religiosos aumentava. Eles não se interessavam pela verdade e sim pelo status que seus cargos proporcionavam. Se alguém fizesse alguma coisa que saia da “cartilha” dos religiosos era considerado blasfemo, simples assim.

Pela perseverança de Estevão, ele teve uma visão impar nas escrituras: Enquanto levava as pedradas e estava para morrer, viu os céus abertos e o Filho do homem em pé a direita de Deus. Todas as visões de Cristo na Bíblia se referiam a ele assentado no trono, mas Estevão viu o que até então nunca ninguém tinha visto e antes de morrer, faz uma belíssima oração: Pai, não os impute este pecado.

Assim como Estevão, que em nesse novo ano, aprendamos pregar a verdade, doa a quem doer. Que sejamos a diferença nesse mundo evangélico, tão raso e tão vazio de uma Palavra da Verdade. Que em Nome de Jesus, sejamos ousados para defender a sã doutrina como somos para defender o nosso time de futebol ou nosso cantor favorito. Sempre em amor e buscando a salvação daqueles a quem pregamos!

E aos que tentam se opor à Verdade pregada, vai um aviso: NÃO SÃO PEDRADAS QUE VÃO NOS PARAR, porque para nós é mais importante agradar a Deus que aos homens.

Que Deus te abençoe e que nos engajemos nessa luta pelo Evangelho Puro e Simples!

Compartilhe com seus amigos Compartilhe com seus amigos

A entrada triunfal de Jesus – o Rei humilde!

A entrada triunfal de Jesus – o Rei humilde!

x

Por Thiago Schadeck

A paz do Senhor!

Neste post quero refletir sobre uma passagem maravilhosa do Evangelho: a entrada triunfal de Cristo em Jerusalém!
O texto bíblico que servirá como base dessa reflexão será Mateus 21:1-10, e utilizarei a versão da NVI (Nova Versão Internacional).

Essa é uma passagem profética, que aponta para o reinado de Cristo. Podemos refletir em alguns pontos do reinado de Cristo no versículo 5.

“Digam à cidade de Sião: ‘Eis que o seu rei vem a você, humilde e montado num jumento, num jumentinho, cria de jumenta’ “. Mateus 21:5

Os judeus não receberam a Cristo como o Messias e isso nos deu o direito de sermos adotados como filhos de Deus (João 1:11), consequentemente, também não o aceitaram como Rei. Neste ponto, não podemos condená-los, pois eles esperavam um rei que fosse guerrear por eles contra todas as formas de opressão, um rei politico, tal como foi Davi.
Hoje em dia, muitos cristãos ainda esperam que Cristo seja esse Rei autoritário, que manda para a forca qualquer um que se levantar contra alguém do seu povo. Querem misericórdia para si e justiça para os outros, quando o que Cristo nos ensinou foi que devemos ser servos e humildes a ponto de perdoarmos e abençoarmos essas pessoas, pois se for da vontade de Deus, eles se tornarão nossos irmãos em Cristo, no momento certo.

Outro ponto que devemos destacar é que Jesus não montou um um cavalo Mangalarga e sim em um JUMENTINHO EMPRESTADO. Infelizmente os pregadores do gospel ostentação não conseguem aceitar isso e insistem em dizer que aquele jumentinho era uma BMW da época. O segundo assunto mais tratado por Cristo em suas mensagem foi o dinheiro, porém sempre alertando para o perigo de torná-lo um deus para si, bem diferente do que vemos hoje. O amor ao dinheiro contaminou muitos líderes e os tem feito levar o povo a buscar a Deus a fim de receber bens materiais e esquecem-se de pregar sobre o reinado espiritual de Cristo e sua vinda que se aproxima. Alias, muitos por buscarem as bençãos materiais, deixaram de acreditar que Cristo virá novamente à esta terra buscar os salvos.

Analisando o evangelho e a vida de Cristo descrita nele, vemos que Cristo foi humilde do começo ao fim de sua vida. Aqui não trato humildade como pobreza, mas como atitudes humildes.

Em Filipenses 2:5-8, Paulo faz a melhor descrição do que é ser um verdadeiro cristão. Devemos imitar o caráter humilde de Cristo, que mesmo sendo Deus veio a esta terra, assemelhando-se a sua criação para salvá-la da condenação provocada por ela mesma e se humilhou de tal forma que se entregou para morrer numa cruz, que era o pior castigo de sua época.
Quando Cristo morre naquela cruz todos os nosso pecados estavam sobre ele e a partir dai Satanás não tem mais qualquer poder para nos acusar, pois Cristo cravou na cruz toda escrita de condenação que era contra nós, e como o Apóstolo Paulo escreve em Romanos 8:1: “Agora já não há mais condenação para os que estão em Cristo”.
Cristo, em toda a sua humildade, se sentou com ladrões, prostitutas, gente de fama duvidosa – para ser simplista, pois eram pessoas que viviam à margem da sociedade.
Dentre seus discipulos tinha um zelote (esquerdista que queria fazer justiça com as próprias mãos), um públicano (cobrador de impostos), tinha um ladrão que se fingia de cristão – o Judas Iscariotes, dentre outras figurinhas.

Quando a mulher entra no banquete e começa a lavar os pés de Jesus com suas lágrimas e secá-los com seus cabelos, o pensamento dos religiosos era: ele não sabe quem é essa mulher para deixar tocar nele! Parecido com alguns pastores de hoje em dia, que só dão atenção aos bons dizimistas e dixam os marginalizados de lado?

Quando Jesus aponta em Jerusalém montado naquele jumentinho, ele deu uma grande lição aos fariseus de sua época, que queriam ser chamados de mestres, serem saudados pelo povo e se assentarem nos melhores lugares dos banquetes, que aumentavam as franjas de suas vestes a fim de mostrar sua autoridade. Esses fariseus se parecem muito com alguns líderes atuais que quando alguém pergunta seu nome, reponde: “Pastor Fulano”. Para outros, o título (bíblico e de grande honra) de pastor ficou pequeno. Querem ser apostolos, patriarcas, reis, anjos e outras besteiras que são extra-biblicos e quem os ortoga para si o faz distorcendo a bíblia.

Temos de aprender a viver e andar como o nosso Senhor andou: Em humildade e serviço.

Com uma coroa de espinhos, se tornou nosso Rei para sempre!

Que sigamos as pisaduras de Cristo e vivamos para louvor e glória dele!

Deus te abençoe!

Compartilhe com seus amigos Compartilhe com seus amigos