Mês: Março 2013

O que penso do Marco Feliciano na CDHM

O que penso do Marco Feliciano na CDHM

marco-feliciano-cdh-20mar20Há cerca de um mês um assunto tem tomado conta dos noticiários, das igrejas, das reuniões de homossexuais, dos programas humorísticos e da mídia em geral. A eleição de Marco Feliciano para a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias.

Vejo de um lado, os homossexuais o acusando de ser homofóbico por conta de algumas declarações. Evangélicos divididos entre os que o apoiam e os que o reprovam. Dentre os evangélicos, a maioria que o aprova faz isso simplesmente por ser um pastor e pronto. De outro lado, os que o reprovam, tem essa atitude por não concordar com sua linha doutrinária. Gostaria de expressar minha opinião sobre o assunto, e quem sabe, de alguma forma, ajudar aos indecisos.

Tenho muitas diferenças doutrinárias com o Marco Feliciano, que inclusive já me renderam algumas brigas via Twitter com ele e seus defensores mais ferrenhos. Porém isso não pode ser o fiel da balança, afinal se formos criticá-lo deve ser como Deputado e não como pastor, visto que lá ele não tem a missão de pastorear a ninguém. Isso não quer dizer que ele não deva se portar como um pastor em meio aos demais deputados. A missão do Deputado Marco Feliciano é de promover a justiça social, defender o bem do povo e lutar contra a opressão da maioria sobre a minoria.

O gabinete dos Direitos Humanos não pode se prender a simplesmente discutir sobre casamento gay, enquanto pessoas morrem em Teresópolis por causa das enchentes anuais e recorrentes na região. Precisamos tomar a atitude de fazer valer os direitos dos necessitados, daqueles que não tem sequer qualquer esperança de um futuro digno.

Sou totalmente contra qualquer tipo de preconceito, mas também sou contra qualquer tipo de afronta, principalmente quando se escondem atrás da “liberdade”. Não posso usar minha liberdade para atacar os homossexuais, como eles também não podem usar a deles para atacar os cristãos. Toda generalização, assim como toda unanimidade é burra. Não posso dizer que todos os gays são reacionários e pegam em armas para ameaçar os cristãos. Sei que é apenas uma minoria burra. Assim como é uma minoria burra de cristãos que, ao invés de pregar, gasta tempo atacando os homossexuais em programas de TV, rádio ou pela internet. Cristãos e homossexuais burros, famosos ou não.

Infelizmente existem muitos soldados rasos em ambos os lados, que reproduzem o que o seu “influenciador” diz. Não pensam,  não questionam, não tem sua própria opinião. Simplesmente dizem: “Acho que é assim, porque foi isso que meu líder falou”.

Como cristão, jamais poderei aceitar a homossexualidade como algo normal ou natural, pois a minha fé na Bíblia me diz que esta atitude é pecaminosa. Porém jamais desprezarei um homossexual, pois para Deus a alma dele tem exatamente o mesmo valor que a minha. Não podemos pensar que por sermos cristãos, Deus olha com mais carinho para nós e com fúria para os gays. Deus abomina as práticas homossexuais, mas deu o seu Único Filho para morrer por eles também.

O messianismo de alguns com relação ao Marco Feliciano me causa arrepios. Alguns já “profetizaram” que ele será o presidente da república, mas esqueceram de perguntar para Deus se é isso que Ele quer. Se essa for a vontade de Deus, acontecerá, mas não podemos olhar o futuro e ficar profetizando, sem colocarmos a mão na massa e agirmos em nosso presente.

Tenho incluído o Marco Feliciano em minhas orações diárias e sempre peço a Deus que o ilumine e lhe de discernimento para fazer o que é correto, para que o povo (crentes e não crentes) seja beneficiado, afinal todos pagam impostos. Oro para que o Marco Feliciano não seja mais um dos que se corrompem com o poder e fazem aquilo que Deus abomina, por causa de alianças políticas. Que o Marco Feliciano se lembre todos os dias que a única aliança que vale a pena é feita na cruz do Calvário.

Sei que é um assunto extremamente delicado e em tudo a concordância e discordância, mas que saibamos usar o bom senso para reconhecer o que está sendo feito de bom e criticar o que está ruim. Mas que nossa crítica não seja apenas pela vontade de criticar e sim para trazer mudanças propondo soluções.

Aos cristãos e homossexuais, gostaria de deixar um recado. As nossas diferenças não podem ser motivos de guerras. Quem quer ser respeitado, deve respeitar. Vamos nos unir para que os direitos humanos realmente existam em nosso país, pois hoje esses direitos ainda são utopia.

Aos cristãos em específico recomendo que orem pelo Pastor Marco Feliciano, não porque é um servo de Deus que está na Câmara, mas porque Deus o colocou onde está para que ele possa defender os interesses da família e promover a justiça social em nosso país.

 

Compartilhe com seus amigos Compartilhe com seus amigos

A importância do perdão

A importância do perdão


perdao

Perdoa nossas ofensas assim como nós perdoamos as pessoas que nos ofenderam” Matheus 6:12

            Já pensou se Deus nos perdoasse do jeito que perdoamos? O que seria de nós sem perdão? Por quê temos tanta dificuldade em perdoar? Uma pessoa que já recebeu perdão não deveria perdoar também? O que é perdoar?

Segundo o Aurélio perdão significa remição de uma falta ou ofensa. Perdoar é renunciar a punir. Absolver. E se eu preciso de perdão é porque sou culpado. Perdão exige culpa. Pedir perdão é assumir a culpa. Perdoar é um favor imerecido.

O perdão diz: “Ok. Você fez isso, mas eu aceito seu pedido de perdão. Não jogarei isso na sua cara e seremos do mesmo jeito que éramos”. É isso que Deus faz conosco, e é isso que não fazemos com os outros. Falamos que perdoamos e na primeira oportunidade jogamos na cara o que a pessoa fez. Uma frase do C. S. Lewis diz o seguinte: “todos dizem que perdoar é uma ideia maravilhosa até terem algo para perdoar”. Concordo com ele. Sempre falamos sobre perdão, aconselhamos os outros perdoar, mas quando é nossa vez de colocar em praticar, o bicho pega.

Aprendi a perdoar de uma maneira dolorosa, porém muito eficaz. Uma pessoa que eu amava muito fez algo que me machucou bastante. Fiquei muito mal, muito triste, não queria liberar perdão algum, e então comecei a questionar Deus. “Por que ele fez isso comigo Senhor? Por que? E Deus me respondeu: “Você está triste pelo que ele fez? Seu coração está machucado? Doendo? Pois é exatamente assim que me sinto todos os dias quando você peca, e quando você se arrepende eu te perdoo. Então, por que você não pode perdoá-lo?”. (HADOUKEEEEEN!!! Jesus Win!) Fiquei com a cara na poeira e lembrei-me da Parábola do Credor Incompassivo (Matheus 18: 23-35). Depois de uma voadora dessas o que eu podia fazer senão perdoar?!

Da próxima vez que você não estiver disposto a perdoar, pense no perdão que já recebeu.

“…Certa vez alguém disse que perdão se dá de graça

Mesmo que não se mereça

Perdoar é reflexo de amabilidade implícita no ser

Quem quer paz, precisa dar
Quem quer amor, precisa ter
Perdão “pra” perdoar…”

Canção do Perdão – Danni Distler

 

Texto da Patrícia Moura (@Pattymeel)

Compartilhe com seus amigos Compartilhe com seus amigos